401 - DUAS ROLAS SÓ PARA MIM


Tenho 26 anos e meu marido também. Somos casados faz cinco anos e estamos juntos há sete. Casei nova, ele também, porém, por ser homem, teve mais experiências sexuais do que eu. Eu só havia transado com ele e com meu ex-namorado, não tinha visto muita rola na vida e sentia falta disso.
Faz uns dois anos que começamos a conversar sobre a possiblidade de realizarmos um fetiche meu: Ménage masculino.
Paulo sempre teve muito mais fogo que eu, me come muito bem, mas depois de realizar o tal fetiche – transar com outros caras – me sinto muito mais safada, parece que algo ativa no meu cérebro que fica adormecido quando passamos um tempo sem fazer.

023 - LOUCURA

Meu nome é Cláudia, tenho 31 anos, e sou casada há sete. Meu marido se chama Alex e tem 32. Nós dois somos formados em Educação Física e somos donos de uma academia de ginástica. Ele cuida da parte administrativa, e eu dou aulas junto com outros instrutores.
Obviamente me esforço muito para manter meu corpo devido a minha profissão, mas também porque adoro me sentir gostosa e atraente, e por isso sou muito vaidosa e rigorosa comigo mesma. A única coisa artificial em mim é o tom dos meus cabelos, um louro amanteigado. Fora o Buttery Blond, o meu biótipo curvilíneo é totalmente natural: busto médio (94 cm), quadris largos (100 cm), estilo “cintura de vespa” (57 cm).

022 - A MINHA 1ª VEZ NO SWING

Conto reeditado

Me chamo Janaína e tenho 30 anos. Sempre tive muita vontade de ir ao swing (mais curiosidades na verdade). Quando tinha 26 anos, completei 2 anos de casada e fomos comemorar em um bar com os amigos.
Foi uma bebedeira só! Lá conversamos sobre vários assuntos, mas um deles despertou mais ainda a minha curiosidade: O tal do swing. Um amigo do Sandro (meu marido) nos contou que tinha ido à uma boate de swing com uma garota de programa e disse:
- Lá rola de tudo e é muito divertido.
Nem precisa falar o quanto isso despertou mais ainda a minha curiosidade. Ao chegarmos em casa conversei com meu marido sobre o assunto, contei a ele sobre a minha vontade de ir ao swing. Ele perguntou:
- Você está bêbada?

400 - MARIDO EMPRESTADO


Meu nome é Carla, tenho trinta anos Sou loira; 1,77 de altura tenho o corpo super bem definido; coxas grossas bunda arrebitada (100 de quadril), seios médios (95 busto) redondinhos e com um pouco de silicone; 69 de cintura; olhos azuis e cabelos compridos até a altura dos ombros e calço 39.
Tenho, como dizem por aí, um corpão modelado à custa de muita malhação. Sou casada com o Cláudio, um homem maravilhoso a quem amo muito e com quem tenho dois filhos. De todas as experiências sexuais que conheço uma ainda não tinha conseguido realizar. O sexo anal.
Desde que nos casamos que meu marido tenta me comer por trás, mas não consegue, pois sinto muita dor e ele acaba desistindo. Porém, eu sinto que ele quer muito e eu gostaria de poder realizar seu desejo.

399 - CONVENCI MINHA MULHER A DAR PRA OUTRO 3

Oi pessoal, meu nome é Paulo e, dando continuidade à série de contos que venho publicando, vou poupá-los das apresentações, pois já as fiz nos dois últimos episódios que publiquei assim com a descrição de minha mulher sobre quem posso garantir que é muito gostosa pra transar e melhor ainda de ver ser fodida por outro macho.
No domingo de manhã, o Ronaldo voltou pra a casa dele. Eu e a Claudia aproveitamos o resto do dia na chácara e só voltamos à noite para casa. O fim de semana foi ótimo.
Durante algum tempo o Ronaldo tentou sair com minha mulher algumas vezes, mas ela sempre o repeliu.
- Foi bom mas, foi só aquele momento.
Dizia ela ao rapaz que se mostrou super apaixonado.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...