Exibicionismo

Autor: Casal Feliz
Meu nome é Nanda. 28 anos. 1.60m. Loirinha. Gosto do meu corpo. Meu marido também. Sei que minha bunda o deixa louco. Não só ele. Diego tem 34. Pouco menos de 1.80m. Vejo minhas amigas e estranhas secando ele. Tenho um pouco ciúmes, mas no fundo tenho orgulho do homem que tenho. Não é de hoje que gostamos de frequentar praias isoladas para eu praticar o topless e um discreto exibicionismo. Moramos no interior do RJ e somos bem conhecidos na nossa cidade. Gostamos de viajar para as praias nordestinas e de SC. Casados há 5 anos resolvemos apimentar uma relação que começava a cair na eterna rotina dos casais. A pouco menos de 3 anos após uma DR, abrimos o jogo um com o outro e falamos o que estava faltando. Da minha parte disse que além do sexo estava faltando um pouco de romantismo. Aquela coisa de mulher. Ele me dizia que também sentia falta de sexo. Aquele papo não chegaria a lugar algum quando falei:

“Acho que a última vez que fizemos um sexo gostoso foi a mais de 4 meses quando fomos ao shopping.”.
Ele riu e respondeu: “Também, naquele dia você estava demais, aquele vestidinho, os caras todos te secando.”.
“Exagero, não vi nada disso”.
“Na hora que você levantou para pegar os guardanapos vi como os caras quase te engoliram.”.
Nessa hora percebi que ele ficou excitado com aquela conversa. Perguntei: “Você gostou?”.
Ele me olhou durante uns segundos e disse: “Gostei.”. “Me excitei muito vendo os caras te secando.”.
Disse: “Pensei que você não tivesse gostado.”. “Por isso nunca mais usei aquele vestido.” “Acabei dando ele para minha irmã.”.
Naquele dia transamos feito um casal de namorados. Descobri que meu marido gosta de me exibir. E isso acabou me estimulando também. Começamos a sair mais e passei a comprar roupas mais ousadas. Quando passeávamos agora, só usava vestidos, saias e shorts curtos. Sempre de salto alto. Calcinhas minúsculas. Meus biquínis diminuíram consideravelmente. E como diminuíram. Rsrsrs. Voltamos a ter uma vida sexual melhor ainda do que no inicio do namoro.
Na internet pesquisei sobre o assunto exibicionismo e criei inúmeras situações que deixava ele louquinho. Até que fiz meu primeiro topless. Fomos passar uns dias em SC e fomos à praia de Palhoça. Era uma quinta-feira, poucas pessoas naquele trecho da praia. Sem perguntar nada a ele. Assim que estiquei a canga e tirei a saída de praia que usava, me sentei e desamarrei a parte de cima do biquíni como se fosse à coisa mais natural do mundo. Ele me olhou. Depois olhou em volta e voltou a me olhar. Dei um sorriso e perguntei se queria que eu colocasse de novo. Respondeu rápido: “Não.”. Esse foi o 1º de muitos que fiz. Cada vez de forma mais natural que as outras. Mas sempre longe de casa e na certeza que não tinha ninguém conhecido por perto. Mas esse mundo é pequeno e toda essa introdução é para falar sobre o fato que me levou a escrever esse relato.
Estávamos numa conhecidíssima praia do litoral baiano, usava um sumario biquíni, que a bunda teimava em esconder. Um triangulozinho e sem a parte de cima. Estava sentada na cadeira de praia quando ouço uma voz chamar:
- Diego é você?.
Nessa hora foi uma sensação estranha. Abri os olhos e vi um rapaz chegando e sorrindo. Olhei para o Diego que me olhou e foi se levantando:
- Luís que surpresa. O que você faz por aqui?
- Cara. Minha família é daqui. Sempre que posso venho visita-los.
Ele falava e seus olhos iam do Diego para mim. Permaneci imóvel. A expressão no rosto de Diego tinha mudado completamente.
- Nunca imaginei encontrar você por esses lados.
Ele respondeu: - Também nunca imaginei encontrar vocês aqui.
Nessa hora o Diego se virou para mim e me disse:
- Nanda se lembra do Luís?
Nessa hora me levantei cobri os seios com umas das mãos e me aproximei e estendi a outra mão para ele que nessa hora percebi que pode olhar todo meu corpo seminu.
- Claro que lembro. Tudo bem?
Luiz era um colega de meu marido do futebol. Não tinha muito contato com ele. Mas o Diego sempre o via no clube. Tinham um bom contato. E agora parecia que um segredo.
Gostosa de fio dental

Após os cumprimentos me deitei de bruços tentando esconder meus seios, mas acho que foi pior, pois meu biquíni que era pequeno, deitada sumiu dentro da bunda. O Luiz não conseguia disfarçar seu olhar para meu corpo. Percebi que o Diego tentava encerrar a conversa, mas Luiz não queria ir embora foram cerca de 20 minutos de papo. Minha cabeça foi de um simples “puta merda” até uns “agora todos vão saber”. Um determinado momento depois do susto até que gostei da situação. Os olhares de desejo dele mexeram comigo.
Os dois se distanciaram um pouco e ficaram conversavam e olhando para mim. O Luiz se foi rindo e acenando, o Diego veio deitou-se ao meu lado e ficou quieto por alguns minutos.
Perguntei: “O que foi?”. “Fala alguma coisa!”.
Ele disse: “Você acha que ele vai contar para alguém?”.
Respondi: “Claro que vai. Você tem alguma dúvida?”. “O que vocês tanto conversaram?”.
Ele: “Pedi segredo”.
Perguntei para o Diego: “O que você sentiu?”.
Ele me olhou e ficou de lado e me mostrou a sunga estufada pelo pau duro e começou a rir. Falou: “Quando você deitou pensei que ele fosse ter um infarto”.
Comecei a rir também.
Ele continuou: “Hoje ele vai se acabar na punheta pensando na esposa do amigo”.
Ri também da situação e disse: “Logo hoje que usei o menor biquíni que tenho”.

A sensação de se exibir para estranhos era gostosa, mas ser vista por um conhecido aumento muito nossa satisfação. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...