Assisti Minha Amiga e o Marido Transando

Me surpreendi ao receber o convite de uma amiga, que já era casada algum tempo, em uma conversa pelo telefone disse que precisava falar comigo mas pessoalmente. Nos encontramos em minha casa e ela começou toda sem jeito a falar algumas coisas relacionadas ao sexo do casamento dela, coisas que ela e o marido já haviam feito e disse que eles tinham uma fantasia que eles ainda não tinham realizado, que era fazer sexo em público, então perguntou se eu e meu namorado iriam gostar de nos assistir… disse que não precisávamos participar, era cada uma com o seu. Nós íamos apenas para assistir. Levei a ideia ao meu namorado que no início não entendeu nem se mostrou afim, após a transa daquela noite (que foi bem quente) ele me perguntou o que eu achava, se eu iria gostar?
“Ah, sei lá, acho que seria excitante ver eles transando na nossa frente, os dois são bonitos, eu ia gostar eu acho.”

Marido Ficou Assistindo o Negão Me Arrombar

Acabei me apaixonando por um homem mais velho, depois de um tempo o sexo caiu na mesmice, comecei a provocar ele dizendo:
- Estou dando para outros homens.
Ele ficava louco de tesão e me fodia como um animal e eu adorava.
Foi tanto que um dia preparei uma surpresa para ele, falei:
- Vou te dar um presente que você vai adorar…
Convidei um amigo para me comer na frente dele, um moreno alto e forte, com um pau enorme. Ele entrou e meu marido se assustou um pouco, então perguntei:
- Você vai gostar de me ver sendo fodida como tantas vezes fantasiou.
Ele respondeu:
- Vou adorar e quero ver.

Nosso Primeiro Menage


Durante nossas transas, eu e minha noiva começamos a imaginar como seria ter mais alguém, conosco em nossa cama. Ela já tinha participado de um ménage feminino (mas jura que estava semi alcoolizada) e eu também já tinha saído com casais, mas, ambos os casos aconteceram antes do início do nosso relacionamento e, ao menos de minha parte, deixaram a desejar.
Começamos então a bolar como seria e ela revelou que adoraria mais um homem com ela, ou seja, queria um ménage masculino. Perguntou se eu topava e eu disse que sim. Sempre achei excitante a ideia de entregar a noiva a alguém. Desde já esclareço que a ideia era a satisfação de uma fantasia, e que não curto, sob hipótese alguma, homossexualismo masculino.

Uma Viagem a Cancun 2

Parte1 

Chegamos ao Hotel por volta de 18h30m horas com o sol já se pondo, fomos direto ao nosso quarto, mal deu tempo de tomarmos um banho rápido e caímos no sono, o dia foi bem cansativo. Acordamos eram 20h30m, combinamos que iriamos fazer um rápido jantar em algum restaurante próximo ao nosso Hotel e se desse vontade daríamos uma estendida...
Logo me vesti com uma calça jeans, camisa de mangas curtas e um dock sider, bem relax, já Dorinha ahhh... Como sempre me deixando com tesão, estava com um vestidinho de alcinha branco bem colado ao corpo, sem sutiã, e com uma calcinha fio dental que estava bem marcada, sandália de salto alto branca também, uma verdadeira musa. Nosso jantar foi bem light, como sempre os garçons olhando minha bela e gostosa companhia. Fomos conhecer o famoso Señor Frogs, uma das baladas mais procuradas em Cancun, chegamos a casa ainda estava bem vazia, nos sentamos e ficamos bebendo uma cerveja bem gelada, que já nos deixou um pouco mais animados....

Meu Marido Propôs Sexo a Três - E Foi Incrível

Sexo a três talvez seja o fetiche dos fetiches. Repare na quantidade de filmes pornô com duas mulheres e um homem (sim, o mundo ainda é machista). Propus a um jovem casal que me contasse como foi viver essa experiência. Eu estava mais interessada em entender a negociação emocional dos dois do que revelar os detalhes da transa em si – quem lambeu o quê e se alguém caiu da cama. Até porque, para ter uma ideia de como rola um ménage, há um cardápio infinito de vídeos na internet. Mas como se propõe isso ao outro? Como esse outro reage, que inseguranças tem, como se dá a escolha do terceiro elemento e a abordagem para o convite? Eles toparam responder minhas perguntas e aqui está uma deliciosa entrevista. Humana, sincera, totalmente fora dos estereótipos. Ela é uma professora de 25 anos e ele, um jornalista de 30. Casados há três. Ela nunca tinha experimentado um Ménage à Trois. Ele já, uma única vez. Prestem atenção, nas entrelinhas, na cumplicidade desse casal. Na capacidade de dividir fantasias, de respeitar o tempo e os limites do outro… Não mexi em uma vírgula do e-mail que eles me enviaram, também não tive coragem de cortar o longo texto – o depoimento em duas perspectivas vale cada linha.

Tadinha de Mim

Tadinha mesmo. Bem que dizem que a curiosidade matou o gato. Mas vamos do começo. Sou uma garota de corpo fino, 1,60m, 50 kg, e pelo que dizem muito sexy. Tenho cabelos pretos e pele bem clara, 21 anos, estudo comunicação, e minha turma é super legal e unida. Fazemos muitos programas juntos, e costumamos ir a um barzinho próximo da faculdade para papear. Muitas vezes o tema descamba para sacanagem, e um belo dia o tema foi o tamanho do pênis.
Foi um colega nosso que perguntou a queima roupa a todas as garotas do grupo se achávamos isso importante. Umas disseram que não, aquele papo de importante é ser competente, enquanto outras diziam que volume era muito bom, inclusive eu, apesar de não ser tão experiente assim. Meu noivo aliás não é muito bem dotado assim como os poucos que o precederam, e eu sempre morri de curiosidade e desejo em saber como seria transar com um pau bem grande.

Eu Te Amo Tanto... Mas Tanto 4

Esse texto não tinha título (Eu escolhi um) e devido ao seu tamanho (Enorme) resolvi dividi-lo em partes. É extremamente excitante.


No entra e sai do imenso caralho, impressionou-me a quantidade de líquido que escoava de sua buceta, encharcava o pau dele e escorria entre suas lindas e torneadas coxas. Ela parecia emendar um gozo em outro. Que cena linda, mas ao mesmo tempo agoniante para mim. Algo em mim parecia estar sendo perdido. Mas ao mesmo tempo a mulher que eu amava estava sendo imensamente feliz. E ela continuava a estimulá-lo sem se importar que eu ouvisse:
“Mais rápido. Mais forte. Rápido. Vai. Me come mais. Me fode assim. Me fode. Me fode forte. Me come gostoso. Bem fundo que eu vou gozar. Mete com força na minha buceta... até o fim. Delícia. Macho gostoso. Come a tua puta, come. Mexe no meu cuzinho... aiiiii. Fode, fode, fode...”.
Ela gemia bem alto tal o prazer que sentia gozando inúmeras vezes de forma visível. Sentei-me na outra cama e aí foi minha vez de me masturbar. Nunca gozei tanto em minha vida, tal a quantidade de porra que escorria de meu cacete ante aquela extasiante cena. O marido da prima foi o último a gozar de nós três. Em uma última estocada ele segurou ela firme pelas ancas e urrou forte cessando seus movimentos.

Eu Te Amo Tanto... Mas Tanto 3

Esse texto não tinha título (Eu escolhi um) e devido ao seu tamanho (Enorme) resolvi dividi-lo em partes. É extremamente excitante.


Terminada a sessão de creme, ela se levantou dizendo:
"Vou beber mais uma cervejinha. Alguém me acompanha?"
Em todos estes anos de casado nunca vi minha esposa tão devota assim do álcool. Lembrava-me meus tempos de adolescente em que tinha que beber para criar coragem de ser ousado. O frigobar ficava quase embaixo da televisão, mais para o lado dele do que o nosso. E, no momento em que ela inclinou-se para frente para apanhar as bebidas dentro do frigobar, nós dois pudemos ter a deliciosa visão daquela bundinha sendo arrebitada com a calcinha agora mais enterrada. Meu pau parecia querer arrebentar a bermuda. Como ela demorou-se naquela posição, supostamente para decidir qual marca de cerveja apanhar, o marido da prima não aguentou e exclamou:
"Não judia da gente prima, minha mulher só chega amanhã. Daqui a pouco eu terei que ir ao banheiro para descarregar".
Ato contínuo ele colocou um travesseiro no colo para esconder sua suposta ereção. Ao que ela retrucou:
"Seu bobo!"

Eu Te Amo Tanto... Mas Tanto 2

Esse texto não tinha título (Eu escolhi um) e devido ao seu tamanho (Enorme) resolvi dividi-lo em partes. É extremamente excitante.


Neste mesmo instante, ela virou a cabeça imediatamente fitando-me nos olhos parecendo surpresa com o que eu dissera, visto a conversa que tivemos anteriormente na piscina. Olhou-me profundamente durante alguns segundos matutando e então abriu um sorriso enorme de felicidade beijando-me languidamente em seguida, não sem dizer antes que me amava muito. De alguma forma, eu a senti agradecida por eu ter dito aquilo como se houvesse algum tipo de permissão "implícita" de minha parte. Imaginei que talvez tivesse vindo à tona nela o seu tão recatado e escondido fetiche, confidenciado anos atrás para mim. Pelo sim e pelo não, adorei. Ela virou-se, e beijos apaixonados de língua fizeram com que nós transássemos de novo na posição papai-e-mamãe e desta vez quem gemia alto era minha esposa. Percebi pela forma com que transava comigo que alguma fechadura nela fora rompida e eu, na ocasião, não sabia exatamente qual era. Ela abriu-se totalmente e parecia sugar meu pau com sua buceta com movimentos rítmicos, os quais fazem qualquer homem delirar. Raras vezes isto acontece com ela. Quando ambos gozamos (quase juntos) atentamos que quem nos observava agora eram eles. Ainda estávamos cobertos pelo lençol, mas agora todos conseguíamos ver muito bem no que antes era total escuridão. Algumas palavras bobas foram ditas para quebrar o inusitado da situação e fomos dormir os quatro totalmente maravilhados com tudo aquilo.

Eu Te Amo Tanto... Mas Tanto 1

Esse texto não tinha título (Eu escolhi um) e devido ao seu tamanho (Enorme) resolvi dividi-lo em partes. É extremamente excitante.


Eu e minha esposa nascemos e fomos criados nem uma cidade do interior paulista, nos amamos muito e gostamos muito de viajar. Filhos criados e independentes, dedicamos agora nosso tempo a conhecer lugares, comidas e culturas diferentes, visto termos uma empresa no setor editorial que, a esta altura, pode caminhar sozinha. Eu e ela somos sócios e tomamos as decisões juntos. Ela é uma mulher madura, culta, professora de literatura, profissional e bem decidida. Uma das características que mais aprecio em minha esposa é o charme. Eu a admiro muito. Ela sabe se vestir muito bem e possui um jeito de andar muito feminino.
Eu a amo muito mesmo. Somos parceiros há 26 anos, ambos com 46 anos, vida marital e sexual hiper realizada. Nada fora do normal, mas tudo feito de forma a nos conduzir a plena satisfação. Gostamos muito da companhia um do outro, realmente nos amamos muito.

Um Rodízio de Paus Como Presente para Meu Aniversário

O que eu vou contar para vocês é uma experiência que aconteceu meses atrás, e que tem perturbado a minha vida.
Meu nome é Bruna, 22 anos, de origem mineira, mas me mudei para estudar em São Paulo, compartilhando o apartamento com três outras meninas na minha mesma situação, ou seja, com poucas oportunidades econômicas. Foi difícil me ambientar, era tudo novo para mim e eu estava sozinha na uma cidade nova, sem família e sem amigos.
Os primeiros tempos foram horríveis, eu socializava pouco, estava sempre trancada em casa para estudar e com minhas companheiras de apartamento as coisas não estavam indo bem. Elas eram as típicas garotas superficiais que só pensavam em sair, ir para balada, para festa, beber e fazer sexo ocasional as vezes até com desconhecidos. Então, elas só pensavam em se divertir enquanto eu era tímida, fechada em mim mesma, reservada e com medo da metrópole. As três meninas se chamavam Carolina, Ana e Ediane e, vamos falar a verdade, eram três gatas.

A Modelo e o Barquinho

Ho Ho Ho Feliz natal! Taradinhos queridos, sabe que dia é hoje?
Uma nova história, numa nova fase da minha vida e os mesmos velhos hábitos de terminar sempre com algo na bunda. Pra quem acha que vida de modelo é fácil, é porque não sabe de muitas coisas que rolam nas internas. Vou contar agora uma dessas coisinhas que toda menina iniciante acaba passando.
Tarde de trabalho, uma feira de moda. Passar o dia em pé, no stand de uma marca de roupas, sorrindo e levando cantada de todos os tarados que se aproximassem de mim. Cantadas, gracinhas, olhares me secando... Faz parte do trabalho permanecer ali, em pé, imóvel, carismática, com sorriso amarelo no rosto, aceitando tudo que me falassem, sem poder responder nada de volta.
Shortinho jeans curtinho, saltão de puta, blusinha com o umbiguinho de fora. Aquele momento em que eu me sentia uma isca de pescaria lançada ao mar, pra atrair os tubarões tarados por carne fresca.
- PUTA!

Troca "Quase" Por Acaso


Oi pessoal, somos o Carlos e a Camila. Segue aqui um relato de nossa primeira experiência deliciosa. Como foi algo maravilhoso, resolvemos compartilhar com vocês. Os nomes foram trocados para não ter problemas. Marcamos com um casal para uma conversa em um barzinho numa sexta à noite. Chegando lá já os encontramos sentados e começamos a conversar bastante. Júlio e Marta eram muito simpático e alegre. Como todos estavam bebendo, depois de um certo tempo já não havia mais receios nas conversas e elas naturalmente passaram a ser direcionadas a sexo.
Conversamos sobre todas as vontades que temos, quais eram as fantasias, limites e gostos. Vimos que todos tinham a fantasia de transar com outro casal no mesmo ambiente. Já que estávamos todos bem alegres, começamos a combinamos de ir para algum motel realizar esta fantasia e no final todos toparam.

Nossa Estreia no Swing

Ela chegou dizendo que o namorado, com quem está há quase três anos, propôs uma visita a um clube de swing.
“O que você acha?”, me perguntou, os olhinhos embriagados de álcool e excitação.
Era óbvio que ela queria matar a curiosidade – mais do que o fetiche do homem que ama. Não se sentia ofendida nem assustada com a proposta. Como a imensa maioria das pessoas que me puxam de canto para confessar alguma estripulia sexual, percebi que essa amiga queria saber se aquilo era “aceitável” ou “normal”.
Fiz três recomendações:
1. Conversem muito antes, combinem o que vale e o que não vale para ninguém se magoar;
2. Usem camisinha;
3. Contem como foi a experiência no Pimentaria depois!

De Volta as Atividades

Depois de quase 5 anos longe das atividades putarísticas, finalmente tivemos a oportunidade de tirar o mofo.
Claro que nosso afastamento foi por um motivo nobre (maternidade). Mas estávamos cheios de vontade de sentir aquela adrenalina e o friozinho na barriga de estarmos num ambiente que adoramos. Um clube de swing.
Conseguimos um alvará de uma noite, e nos preparamos para ir ao Atenas Club, agora em São Vicente, logo na subida do Ilha Porchat.
Ainda não conhecíamos a casa, depois da mudança. E já adianto: Ficou sensacional!!
Claro que a ilha ajuda, aquele visual todo. Mas isso já conhecíamos. O que nos surpreendeu foi o ambiente. Muito aconchegante, espaçoso, climatizado, com muitas oportunidades pelos corredores, quartos, aquários, e varandas da casa. Enfim, uma delícia.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...