106 - Casado com Uma Mulher Maravilhosa

Sou casado com uma mulher maravilhosa, sempre fez de tudo para que nosso casamento fosse harmonioso e que tivéssemos uma vida tranquila e feliz. Ela e morena, 1,70 m, 68 kg, seios grandes e gostosos, uma bunda que me deixa cheio de tesão e que adoro comer, sempre tivemos uma relação gostosa na cama.
Quando iniciamos nossa relação ela era um pouco tímida, aos poucos fomos conversando e suas atitudes começaram a mudar enquanto transávamos, falávamos coisas um para o outro que nos deixava bastante excitados.
Entrávamos na internet, olhávamos fotos de sexo entre casais e também com a participação de dois homens e uma mulher, pegamos gosto, começamos a separar imagens e nos mandar via e-mail, entravamos em site de sex shop e resolvemos comprar um vibrador para fazer parte de nossas brincadeiras, nossa relação, que já era gostosa ficou ainda melhor. Nossas fantasias foram aumentando, comecei a falar coisas a ela, que a princípio não gostava muito, dizia que aquele vibrador era o amante dela, que ele ia comê-la bem gostoso para eu ver, até que com o passar do tempo ela entendeu a brincadeira e entrou neste jogo de sedução bem gostoso.

105 - O Cara Não Queria Parar de Meter na Minha Mulher

Autor: Coroa Casado

Minha esposa Mika, é nissei, descendente de japoneses, 1,63m, pele lisa e branquinha, alva como uma boneca, rosto de quem gosta da coisa, o que a deixa sexy e mexe com os homens, apesar de quarentona.
Para a Olimpíada no Rio, o ¨Japanese Olympic Comittee - JOC¨, procurava intérpretes na língua portuguesa. Como eu e a esposa falamos bem as duas línguas, nos cadastramos sem muitas esperanças.
Em junho, o JOC nos mandou uma carta, pedindo que entrássemos em contato. Fizemos entrevista em Kyoto, acabando aprovados. Fomos designados para acompanhar a equipe de badminton, uma pena. As modalidades melhores como futebol e vôlei possuem tradutores em suas delegações.
De qualquer modo, ficamos contentes, já que iríamos ao Rio com passagens, alimentação e hospedagem tudo pago. Restou obter licença na empresa que trabalhamos. Eles não gostam de brasileiros tirando férias e no retorno, não garantem a vaga.

104 - A Primeira Vez de Minha Esposa

Autor: Casal Liberal

Sou casado com uma linda loira de olhos verdes, seios médios maravilhosos, e uma bunda suculenta. Ela tem um piercing no umbigo e uma tatuagem de uma flor na barriguinha um pouco acima da coxa direita. (Ela viu uma igual na atriz pornô CHLOE CHANEL e fez igual).
Sempre fomos um casal muito quente na cama e temos uma química bem legal, mas vou narrar uma aventura que tivemos para realizar uma fantasia de minha esposa.
Como acessamos vários sites de pornografia, encontramos várias cenas onde o marido assiste sua esposa com outro macho. Isso excitou minha mulher, que começou a me perguntar se eu não gostaria de vê-la com outro homem. Aquilo me incomodou um pouco mas eu desconversei. Ela porém não desistia e acabou por me convencer a levar em frente essa sua tara.

103 - Ganhando 22 cm de Presente

Me chamo Rita, tenho hoje 30 anos; estou casada já faz quase dez anos. Meu marido adora me ver sentindo prazer, mesmo que esse prazer seja fazer sexo com outro; essa era uma fantasia constante, outro homem na nossa cama, me dividindo com ele, “sem viadagem” como ele costuma dizer.
Sabendo disso ele resolveu começar a procurar alguém pra realizar essa fantasia e no dia do meu aniversário de 26 anos me deu um presente e tanto.
Primeiro mandou que eu me arrumasse, sairíamos para um jantar bem legal, com alguns amigos no meu restaurante favorito. A seu pedido coloquei um vestido não muito curto, uma sandália bem alta e nenhuma calcinha. Tinha depilado a xaninha naquele dia, estava muito sensível, era melhor mesmo não usar calcinha.

102 - Quem Não Ouve Conselhos, Leva Chifres

Eu me chamo Pedro e o que relato aqui aconteceu no fim de julho de 2013, como todo presente, existe um passado. Aqui no bairro onde eu moro tem um cara que é gente boa que se chama Silvinho, apesar de não sermos o que chamamos de amigos de fé, eu sempre o considerei bastante, o cara é legal, trabalhador e por vezes até nos encontramos pra tomar umas cervejas, mas o fato que há pouco mais de dois anos ele colou com Cibele. Cibele digamos assim, não é linda de ser capa de revista, mas é uma mulher com rosto de traços bonitos, ela é morena, está com 31 anos, estatura média, peitos médios e firmes, tem pernas grossas e possui uma bunda que chama atenção, como falei antes, ela não é uma gata, mas é gostosa demais.

101 - Amigos Seletos

Autor: Cristina

Um deles me abraçou por trás. Seu pênis encaixava-se em minhas nádegas. Minha cabeça reclinada em seus ombros oferecia-lhe minha boca, pescoço e orelha para serem beijados. Meus seios acariciados por suas mãos sobre o curto quimono de seda estavam duros de desejo. Ele se mexia suavemente, seu peito firme acariciando minhas costas.
Percebi meu quimono sendo desamarrado. Mais duas mãos começaram a percorrer levemente meus lados, uma língua tépida tocando meu ventre, e descendo lentamente pelo meu púbis, até minha vagina. Estremecendo de prazer, gemi sufocado pela outra língua em minha boca. Quem explorava minha vagina ergueu uma de minhas pernas e apoiou meu pé no sofá. Oferecida, mexia meus quadris que agora eram acariciados atrás por um pau empinado por toda extensão de meu bumbum, e na frente por uma língua esperta que provocava contrações vaginais de tesão.

Não Era Santa, Mas Meu Namorado Me Transformou Numa Putinha

Exclusivo do Blog Casada Sexy

Centésima Postagem

Autor: Laura

Sou a Laura. 35 anos. Sou bonita. Gosto de me cuidar. Apesar de um filho tenho um bonito corpo. Um pouco acima de 1,70 de altura e menos de 65kg. Cabelos castanhos claros, mas muitas vezes me dá uma loucura e os deixo bem loiros. Sou enfermeira.
Estou separada de meu segundo casamento. Sou difícil. Sou exigente. E não sou e nunca fui santa. Gosto de uma boa foda. Gosto de provocar. Gosto de uma boa vara dentro de mim. Quanto mais tempo melhor. Gosto de me sentir totalmente preenchida. Então para mim, tamanho e principalmente, grossura é importante. Sempre fiz tudo na cama que me pediram. Gosto tanto de anal como convencional. Gosto, e gosto muito, de uma boa pica dentro de minha boca. E se o homem não consegue segurar o gozo, não fico zangada se minha boca é o alvo dos seus esguichos. Alguns me beijam depois e outros tem nojinho. Entendo. Entre quatro paredes, se é para o prazer do casal, para mim, vale tudo. Sei que tem alguns que tomam remédios para ficar mais tempo duro. Qual o problema? Fico envaidecida por saber que tem que ter ajuda para me saciar.

Me visto bem. Não passo desapercebida em qualquer ambiente onde esteja. Quer no trabalho, quer nos eventos sociais. Olhem a diferença. Me visto bem e não como uma puta. Nada contra elas. Mas existem situações que determinadas roupas não caem bem. Não gosto e raramente uso sutiã mas no trabalho é necessário até por causa das roupas claras. Esse é só um exemplo. Não sou magra. Sou o tipo, como os homens gostam de falar, cavala. Tenho coxas grossas e bunda bem arrebitada. Ajuda no visual uma cintura fina e quadris largos. O estilo violão. Os seios tem 250 ml em cada um. Malho para manter isso. Algumas me chamam de gorda. Não ligo.
Gostosa de fio dental
Na praia meu lado exibicionista aflora de vez. Gosto de usar os menores biquínis. Geralmente já desço do carro só de biquíni. Percebo os olhares descarados dos solteiros e discretos dos casados. Vejo os olhares de recriminação das esposas e namoradas. Nessa hora abuso dos joguinhos. Uma eternidade para sentar ou deitar na canga. Faço para provocar mesmo. Algumas até vão embora. Bom que sobra mais espaço.
Bom todos já sabem o que gosto e como sou.
Agora vou narrar como subi um degrau nessa longa escada da vida.
Quando sai de casa para aquele aniversário na casa de uma amiga não imaginava o que o destino estava me preparando. Estava num grupo de 5 mulheres conversando quando meus olhos cruzaram com o dele. Mesmo a uma boa distância tive a certeza que seus lábios disseram:
“Linda como sempre”.
Não acredito. Será que é o Beto?
Perguntei a minha amiga e ela disse que era. Tinha voltado para nossa cidade não tinha um mês. Passou um filme na minha mente. Voltei aos meus 15 anos e lembrei daquele menino magrelo e cheio de espinhas que eu era apaixonada. Foi o primeiro que beijei e o primeiro que me fez chorar, quando seus pais se mudaram e nunca mais nos vimos.
Veio em minha direção com um sorriso lindo. O abraço durou minutos. As pessoas a nossa volta perderam a importância e depois de nos certificamos que estávamos sozinhos, fomos continuar conversando em um barzinho distante dali. Quanta coisa mudou em nossas vidas. Ele também estava separado. Também tinha um filho.
O convite para irmos para um lugar mais calmo era necessário. O motel mais próximo eu mesma que indiquei.
Ali mesmo na garagem do motel. O primeiro beijo. Meu vestido foi levantado me deixando apenas de salto alto e uma minúscula tanguinha enfiada da bunda. Me colocou sobre o capô do carro e nem reparamos que a cobertura da garagem não tinha sido abaixada. Um carro passou e um assovio nos despertou. Entramos rindo. Ele disse:
- Tira a calcinha mas fica de sandália.
Fiz de costa para ele. Me abaixei e demorei a levantar o corpo. Minha buceta deve ter ficado bem a mostra. Chegou perto de mim e falou:
- Nunca esqueci de você. Maravilhosa. Que marquinha de biquíni linda.
Parece que fomos feitos um para o outro. O Encaixe foi perfeito.
Gostei quando ele me jogou sobre a cama e sua língua explorou cada milímetro de minha bucetinha. Fui ao delírio com as chupadas no meu cuzinho. Gostei quando ele bateu com sua pica em meu rosto. Falei:
- Para de me torturar. Me deixa chupar essa pica gostosa.
Ele deixou. E gostei. Gostei do tamanho. E gostei muito mais da grossura. Ele não queria gozar mas eu pedi:
- Goza. Goza na minha boca.
Sua expressão era deliciosa. Senti seus jatos atingirem minha garganta. Minhas bochechas. Meu pescoço e seios. Ele mesmo me levantou e me beijou. Gostei demais nessa hora. Homem de verdade. Sem frescuras.
Ele gozou de novo. Uma dentro da minha bucetinha e outra dentro de meu cuzinho. E eu também gozei muito naquela noite. Perdi a conta de quantos minutos cavalguei aquele piroca gostosa.
Gostei quando ele me colocou de quatro sobre a cama e começou a lambuzar sua pica em minha buceta que pingava e depois de bem lubrificado começou a colocar seu tora dentro de meu rabinho:
- Ai gostoso. Devagar. Bem devagar. Delícia. Coloca essa pica toda dentro do meu cú.
Ele ficou doido:
- Isso minha putinha deliciosa. Rebola. Isso. Abre bem esse rabo para eu meter. Isso. Gostosa.
Depois que a cabeça entrou, eu mesma comecei a forçar os quadris para trás para ajudar na penetração. Às vezes ele deitava seu corpo sobre o meu e apertava meus seios e puxava meus cabelos como se fossem rédeas. Gozei de novo. E de novo.
Passamos a nos ver sempre. Ele logo percebeu meu lado exibicionista e passou a me incentivar. Agora um pouco diferente, com um homem do meu lado. Sempre fiz sozinha, mas agora tinha alguém ali me incentivando e outros homens me olhavam com discrição. Isso apimentou muito nossa relação.
Gostei muito da primeira vez que pediu para eu ir sem calcinha para uma casa noturna. Perguntei:
- Sem calcinha?
Ele:
- É. Algum problema?
Respondi a ele:
- Não. É que esse vestido é muito curto. Se ventar vai ter hora que vai aparecer tudo.
Ele:
- Sorte de quem ver alguma coisa.
Fui. Ali começava minha vida de namoradinha exibicionista. Praias e shopping eram nossos lugares preferidos. Sempre terminávamos a noite numa cama do motel, com ele falando no meu ouvido com os homens me encaravam. A pica dele pulsava quando eu lembrava a cara dos garçons, frentistas, vendedores nas lojas e qualquer outro que tivesse a sorte de ver um pedacinho proibido de mim. Mas foi na própria casa dele que atingi o auge do exibicionismo alguns meses depois.
Tínhamos pedido uma pizza e quando a campainha tocou estávamos ainda nus na sala, após um banho, quando ele falou com um sorrisinho na boca:
- Atende lá.
Quando me levantei ele puxou a coberta que nos cobria no sofá. Falei:
- Amor. Estou nua? Olha que eu vou assim?
Ele:
- Duvido.
Eu rindo:
- Não reclama, hein.
Namorada se exibindo para o entregador
Meu coração estava quase saindo pela boca. Quem será que estava na porta? Alto ou baixo? Gordo ou magro? Novo ou velho?
Ainda dei uma olhadinha para trás e fiz sinal com o dedo para ele atender. Ele fez que não com a cabeça e a campainha tocou de novo. O rapazinho quase caiu para traz quando meu viu daquele jeito. Olhei para onde o Beto estava e o vi tocando uma gostosa e lenta punheta. Depois que voltei transamos muito gostoso com ele me colocando de quatro sobre o sofá:
- Gostou né sua putinha? Gostou de se exibir peladinha para o novinho?
Eu respondi:
- Gostei. Gostei muito. Acho que ele hoje vai morrer de tanto tocar punheta. E você gostou de exibir sua namoradinha?
Ele metia e tirava sua pica de minha bucetinha de forma lenta e cadenciada. Ele sabe que assim me leva ao gozo rapidinho. Ele falou algo que já vinha percebendo a algum tempo:
- Amei. E vou gostar muito mais quando eu te ver sendo enrrabada por outro homem na minha frente!
Olhei para ele rindo e falei:
- Nossa. Que isso? Outro homem? Na sua frente?
Ele aumentando a velocidade das estocadas falou entre gemidos:
- É. Quero ver outro macho metendo em você.
Confesso que até aquele momento eu achava que tinha feito tudo que se possa imaginar entre quatro paredes mas ali naquela hora gozando feito uma cadela vi que meus dias de putinha estavam apenas começando.


Voltarei aqui assim que acontecer...

Delícia de Inimigo

Autor: Buzios Girlfriend

Meu nome é Mariana e tenho 30 anos de idade. Sou loira, tenho 1,75m, um rosto que considero bonito e um corpo de chamar a atenção. Sou casada há cinco anos com um homem que amo muito e que me mostrou como a vida a dois pode ser boa. Meu marido é funcionário de uma grande empresa, ocupando um cargo de direção. Por esse fato, fica sempre exposto a novas inimizades, ainda mais pelo fato de ter um temperamento forte de direção. Um dos inimigos feitos por ele no trabalho se chama Mateus, um homem forte e dominador, gerente de uma outra área da empresa. Os dois já trocaram desaforos em reuniões e não escondem o ódio de um pelo outro.
Mateus não é casado e pelo dinheiro e cultura que tem, não tem dificuldade de arrumar belas amantes, estando por isso sempre acompanhado por muitas mulheres. Uma das últimas foi uma grande amiga minha que cometeu o erro de se apaixonar pelo canalha. Ele fez com ela coisas terríveis e a expôs de uma forma pouco usual, tendo minha amiga, no final, mudar de cidade para manter sua sanidade mental e o que lhe restava de moral. Em maio desse ano a empresa convidou seus empregados para um curso de gerenciamento a ser dado em uma de nossas belas cidades litorâneas, tendo a opção de levar a família para aproveitar as "férias" de uma forma diferente. Tanto meu marido quanto Mateus foram a esse encontro. Meu marido, muito preocupado com seu aprendizado e em se aprimorar, não queria aproveitar o passeio e ficava em suas horas livres revendo o material do curso.

Dando Naturalmente

Autora: Nanda

Sou uma mulher de trinta e poucos anos, fui casada durante sete anos com um cara fantástico e, apesar disso, não consegui me manter fiel no casamento, o que terminou por levar nossa união à bancarrota.
Águas passadas, uma vez que não tínhamos filho, decidi aproveitar mais um pouco a vida enquanto ainda me restava algo de mocidade. Neste período, conheci pessoas bem diferentes das quais eu estava acostumada nos círculos trabalho e família.
Entre estas pessoas, um casal excepcional que chamaremos de Ana e Fábio. Ela, com pouco mais de 25 anos, era uma verdadeira princesinha e havia sido o pivô da separação dele, há cerca de um ano. Ele, com seus 45, 46 anos, um cara em boa forma e, acima de tudo, muito bem humorado.
De cara, dava pra perceber que ele estava, como eu, vivendo momentos passageiros e que, logo, logo, estaríamos de frente com a realidade novamente e, quem sabe, constituindo novos relacionamentos conjugais.

Confesso que Gosto

Não gosto de esconder fatos da minha vida, ainda que muitos não entendam a causa de uma mulher como eu amar, venerar, adorar o sexo anal acima de tudo. Tem uma razão e eu conto.
Quando tinha 18 aninhos, já era um mulherão de assombrar todos quando aparecia na praia com meu biquíni azul-marinho. Coxas fortes e muito bem feitas, bundinha segura e bem pronunciada, carnuda, cintura bem fina e seios relativamente pequenos. Mas nada decepcionantes. Tudo isso por causa da minha paixão pelo vôlei na praia, que eu gostava de praticar quase todos os dias, no final da tarde. Escutava muitas piadinhas e levava cantadas sem parar dos espectadores que ficavam olhando, principalmente na calçada. Olhava os jogos também, e determinado dia surgiu um desconhecido para mim na quadra masculina mais frequentada. Alto, musculoso, muito ágil e excelente jogador. Seu nome era Fernando, mais conhecido pelo apelido de Nando. Um belo tipo, que me impressionou.

Marido Voyeur

O fato que narro aqui aconteceu em um belíssimo hotel no Guarujá. Somos um casal, que nos amamos muito e estamos juntos há dez anos. Minha esposa Carla, tem 30 anos, é clara, cabelos pretos longos e lisos, 1,70 de altura, 58 kg, seios médios, rosados e deliciosos, bunda média com tudo em cima e ainda com marquinha de biquíni. Durante anos dei dicas à minha esposa sobre minha mais louca fantasia, de vê-la transando com um casal. Lógico que o homem deveria ser de pegada forte, dotado e bem sacana na cama.
Viajamos para o litoral para passar um feriado a fim de descansar do dia a dia do trabalho. Chegamos a um belíssimo hotel de frente pra praia e nos hospedamos em uma suíte que tinha uma vista maravilhosa e bem relaxante. No mesmo dia que chegamos, passamos o dia na praia tomando algumas cervejinhas e beliscando alguns petiscos. Logo à noite fomos para o bar do hotel, onde rolava um sonzinho ao vivo com muita gente bacana e alegre. Foi nesta noite que conhecemos um casal de Sampa, Cezar e Daniela.

Ombro Amigo, Corpo Amante

Michelle começou a trabalhar em minha empresa recentemente. Uma branquinha que chamava atenção não só pela sua simpatia, mas também pelos lisos e compridos cabelos negros. Seios pequenos e empinados, com os bicos bem grandes e claros, deliciosos. Bocetinha com corte caprichoso, especial. Pelos curtos e lábios imperceptíveis de tão inchada. Uma bunda grande e redonda, uma rabo de fazer qualquer cinquentão esquecer o comprimido. Mãos belas e muito bem cuidadas, maquiagem ideal, sensata. Uma bela mulher. Apesar de seu corpo ser também chamativo, gostoso, confesso que mulheres extremamente brancas nunca foram as minhas preferidas. Mas mulher é mulher, e adoro todas.

Uma Viagem a Cancun 3

Parte 2 

Acordamos por volta das 7h30m e ansiosos pelo passeio com nossos amigos, Cristina e Marcos, ficamos na cama imaginando como seria o dia e Dorinha fez uma sugestão, para trocarmos de parceiros o dia todo, faríamos tudo com o parceiro do outro, adorei a ideia, será que eles topariam? Já ficamos excitados na cama mesmo, abracei Dorinha, passei a língua em seus lábios, foi o suficiente para liga-la, ela já veio por cima me beijou, colocou a bucetinha na minha cara para que a chupasse, que delícia colocar a língua naquela buceta lisinha, sentir ela molhada na língua, aquele cheiro gostoso se exalando, logo ela se vira e abocanha meu pau, começamos um 69 delicioso, ela chupava minha vara como se tivesse lambendo um sorvete, só que esse é quentinho e duro, não demorou muito e gozamos um na boca do outro, com as bocas meladas trocamos um longo beijo que serviu como um breve até logo, já que proporíamos a troca durante o passeio todo.

Primeira Vez Dela na Casa de Swing

Eu realmente não sabia onde estava me metendo, só encarei a fachada do lugar e deixei que me guiasse para dentro. Agarrado à minha cintura, passamos as portas e seguimos por um corredor iluminado apenas por luz negra e cheio de imagens sugestivas nas paredes. Era a minha primeira vez numa casa de Swing. Eu não fazia ideia de como funcionava, mas sempre tive a curiosidade, mesmo com várias pessoas dizendo que não passava de um local onde estranhos cometiam os maiores tipos de orgias. Bem, eu não pensava isso. Na verdade, achava tudo interessante e atrativo. Um mundo novo à ser descoberto e do qual as pessoas tinham medo de experimentar e gostar ou de serem julgadas por outros que não entendiam esse tipo de prazer. Como eu nunca fui das que ligam para opiniões alheias, assim que surgiu a oportunidade, agarrei.

Acabei Traindo

Meu nome é Flavia tenho 31 anos casada com o Marcelo que tem 33 anos. Somos casados a 10 anos e optamos por não ter filhos. Conheci o Marcelo quanto tinha 16 anos ele foi meu primeiro e único homem, claro que sempre tive curiosidade em conhecer outro homem mas em respeito a ele e aos nossos familiares nunca trai.
Eu sou loira 1 68m 53kg não sou nem uma modelo maravilhosa mas também não sou feia, sou muito vaidosa adoro me cuidar e estar sempre arrumada.
Em agosto de 2010 fizemos 10 anos de casados e resolvemos tirar uma semana de férias, como não podíamos fazer uma viajem longa optamos por ir ao litoral norte de São Paulo, nessa época é sempre vazio e podíamos aproveitar e namorar bastante. Comecei então a buscar na internet pousadas e achei uma em uma praia que é relativamente deserta. A pousada parecia ser muito aconchegante e só tinha 5 quartos todos muito bem decorados. Liguei e marquei para ficarmos nessa pousada.

Ilha da Fantasia

Todos temos nossas fantasias. Minha mulher não é diferente e também tem as suas. Sempre que faz amor comigo, sonha com um amante bem dotado e eu fantasio que sou o cara bem dotado, muito embora meu cacete não seja dos maiores. Eu a amo e nos damos muito bem, mas às vezes penso que não a estou realizando completamente. Assim, resolvi acender seu fogo atendendo seus anseios e completá-la sexualmente.
Minha mulher tem 1,70m de altura, 62 quilos, pele branca bem macia e aveludada, cabelos lisos loiros até altura dos ombros, olhos castanhos, quadril largo bem torneado com sua cintura e coxas - um perfeito violão - peitinhos médios duros e um bucetão apertadinho. Em suma e modéstia parte, ela é muito gostosa.

Meu Marido Um Voyeur

Olá para todos, sou a Danielle tenho 23 anos e sou casada com o Ronny a quase 3 anos. A pedido e com a ajuda do meu marido escrevi essa história que aconteceu conosco a uns 15 dias. Quero avisar a todos, principalmente as mulheres casadas que estiverem começando a ler esta história que se tiverem rígidos princípios morais fechem o texto agora e não o leiam. Agora se estiverem dispostas a quebrar velhos tabus vão em frente pois assim como vocês também norteei minha vida com muita moralidade até o dia em que ocorreu esse evento.

Um dia meu marido me falou sobre ménage, como nasci e me criei no interior eu nem sabia direito o que era, então ele me explicou que muitos casais convidam outra pessoa para juntos se divertirem, sexualmente falando. Fiquei furiosa com ele pois pensei que ele estivesse querendo transar com outra mulher, então num impulso de raiva perguntei a ele:
- O que você sentiria se eu transasse com um outro homem?

Quem Mandou Não Comer?

Caros leitores, devo avisar que este conto é verídico e um pouco extenso. Tão verídico que omito datas e lugares. Nossos nomes são estes mesmos, afinal existem tantos outros Marcos, Márias, Júlias, Pedros, que me sinto tranquila em revela-los. E meu objetivo é faze-los pensar sobre suas vidas íntimas. Amem seus parceiros intensamente. Do contrário, viverão uma vida monótona e infeliz. O que vou contar agora é verídico, e tenho certeza que um grande número de mulheres por esse mundo afora já passaram por essa situação, estão passando por esta situação ou mesmo fantasiam passar por esta situação.
Não me considero nenhum expoente de mulher. Sempre fui uma menina normal, rosto simpático, jovem, seios médios, cabelos lisos negros, pele morena, gosto do meu corpo. Procuro manter pernas e bumbum sempre firmes, com um pouco de exercício e evitando sedentarismo. Entrei na faculdade mas não terminei. Acabei casando com Rafael, eu com 21 e ele com 32. No início tudo foi muito bacana. Apesar de ter tido alguns namorados e algumas histórias picantes, ele foi a primeira pessoa com quem transei de verdade. Até então as únicas coisas que tinham acontecido eram uma chupada que levei de um namorado, que por sinal foi meu primeiro orgasmo provocado por outra pessoa. Naquela ocasião, foi a primeira vez também que mamei uma rola. E também um namorado com quem fiquei muito tempo, numa ocasião em uma fazenda, em que tentamos um anal, mas ele foi nervoso e precipitado, e como foi muito desconfortável acabamos nos masturbando mutuamente. Fora isso, só com Rafa.

A Verdadeira Iniciação


Sou clara, olhos verdes, tenho 35, mas aparência de 25, sempre fui muito tímida a respeito de sexo, me casei virgem com um Homem que me ensinou a verdadeiro sentido da palavra prazer, as preliminares com ele são sempre uma viagem alucinante, sem pressa e com muito carinho, ele vai me deixando alucinada, arrancando orgasmos com sua língua viajando pelos meus dedinho do pé, meus grossos tornozelos, minhas coxas, meu cuzinho e tudo isso massageando meu clitóris com a delicadeza de uma pena, não dá para aguentar antes da penetração, são duas até três horas de muito carinho e muitos orgasmos.

Exibicionismo foi o Começo


Meu nome é Elizabeth, moro em Santos, tenho um casal de filhos, 1,65 de altura e 58 quilos. Sou loira de cabelos bem curtos, e corpo perfeito, apesar de não ser mais uma garota. A história que passo a relatar é verídica e ocorreu há alguns meses. Depois de tantos anos de casada com Paulo, caí­ naquela rotina tão conhecida das mulheres donas de casa. O sexo com meu marido não me causava mais nenhuma sensação, tudo era monótono e repetitivo.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...