019 - VULNERABILIDADE

Todas as sexta feira serão reeditados os contos mais antigos com novas imagens. Espero que gostem.

Estava eu ali, num quarto de hotel em São Paulo num completo e complexo dilema. Todos os meus colegas estavam no restaurante do hotel bebericando e contando piadas. Eu estava louca para ir, mas tinha medo. Medo do que estava sentindo pelo Gustavo, o gerente da filial Salvador. O homem me atraia demais. Seu jeito seguro, educado e ao mesmo tempo dominante estava mexendo muito comigo.
Éramos doze gerentes das diversas filiais da empresa espalhadas pelo Brasil e estávamos ali numa reunião gerencial de uma semana. Era a primeira vez que eu participava. Começamos no domingo à noite, uma espécie de quebra-gelo e apresentação do grupo, e já estávamos na quarta-feira.
Na segunda-feira foi um dia muito puxado e todos nos recolhemos a nossos quartos logo após o jantar, que terminou já depois das 22h. O grupo, de 15 pessoas (três da matriz), era formado por 12 homens e apenas três mulheres. Eu, Marília e Joana. Como os quartos eram pequenos, Marília e Joana dividiram um e eu estava sozinha no meu.
Na terça-feira havíamos ido a uma boate. A turma toda brincando, dançando e eu travada, na minha, tomando um gin com tônica bem fraquinha. Marília e Joana passavam de mão em mão dançando com todos. Eram solteiras e queriam mesmo era se divertir. E havia uns colegas bem bonitos no grupo. Eu inventei que estava com dores na coluna e que, devido ao salto alto que eu pusera, não dava pra dançar.

384 - O CARTEIRO

Meu nome é Thereza, sou casada, tenho um ótimo marido, trabalhador, um bom amante, um tarado na cama. Também tenho uma filha linda, estudiosa, muito inteligente, ou seja, tudo que uma mulher casada gostaria de ter em casa.
O fato é que mesmo sem precisar de mais nada em relação a sexo, acabei me tornando uma mulher infiel a cerca de dois meses, e é justamente isto que venho relatar a vocês.
Um dia destes em que eu estava sozinha em casa, era mais ou menos umas 10hs da manhã, minha filha na escola, o marido trabalhando e eu para variar lavando roupa.
Em casa normalmente fico bem à vontade, e neste dia não foi diferente, estava usando meu bom e velho shortinho de malha folgadinho, uma blusinha de alcinha e nada de calcinha e sutiã.

383 - SWING NA PRAIA DE NUDISMO

Frequentamos a Praia do Pinho algumas vezes em cada verão. Pela primeira vez decidimos nos hospedar na pousada que existe lá e então passar uma final de semana. Reservamos o chalé e chegamos no início da manhã de sábado.
Estava um belo dia de sol e estávamos ansiosos por tirar as roupas e ir à praia. Colocamos nossa pouca bagagem no quarto, tiramos as roupas, passamos protetor solar, pegamos o guarda sol e as cadeiras no carro e fomos a praia.
Escolhemos um bom lugar, mais perto do acesso a pousada porque nossa intensão era passar o dia entre provocações um com o outro e necessidades de usar o quarto para transar muito.

382 - SEGREDOS DEVASSOS 11

Uma semana se passou desde o sexo louco com Luciana e Carla, eu estava visivelmente apaixonado por Luciana, seu jeito meio malévolo, seus segredos e tudo mais me fizeram ficar caidinho por ela.
A uma semana eu não via Luciana nem Fernanda, fiquei entediado na academia e todos os dias da semana transei com Carla de maneira feral, bati nela, comi seu cu e gozei em seu rosto, eu precisava de uma fêmea diferente, precisava sentir aquele cheiro doce novamente.
Felizmente era o dia do meu aniversário, esse tempo todo Fernanda não me respondia as mensagens ou retornava minhas ligações, mas eu tinha um contato limitado através da Carla, segundo a própria Carla eu iria ganhar um bolinho e uns amigos iriam lá para conversarmos.

381 - INICIANDO NO NUDISMO

Especial de Natal.

- O que você mais gosta naqueles sites que lê na internet?
Aquela pergunta me pegou mais que desprevenido. Perguntei tentando disfarçar:
- Quais sites?
Ela me olhando foi direta:
- Os de contos eróticos.
Eu estava sentado na cadeira de praia e me espremendo embaixo do pequeno guarda sol enquanto Luciana, minha esposa pegava sol deitada na canga. Confesso que se não a conhecesse estaria muito mais interessado em observar seu corpo. Aliás lindíssimo corpo, ainda mais bonito naquele biquíni minúsculo que estava usando naquele dia, do que mexer nos joguinhos do celular.
Não me interpretem mal, mas quem é casado a muito tempo, no nosso caso, juntos a 16 anos, sabe o que estou dizendo.
Estávamos de férias e fazíamos um tour pelas cidades de Santa Catarina. Era nosso segundo dia em Camboriú. Aquele local, Praia Brava, era até agora o que mais me desconcentrava em meus joguinhos. O motivo? As belas mulheres desfilando em micro biquínis. Algumas até não tinham o corpo igual ao da Lú, mas eram desconhecidas.
Respondi após pensar muito:
- Alguns contos são bem excitantes.
Ela sorrindo falou:
- Acho que é tudo mentira.
Eu ri e comentei:
- Ué? Você entra nesses sites? Não sabia.
Ela rindo falou:
- Só você que tem direito? Estava no histórico de navegação e cliquei e passei a ler alguns. Mas você não me respondeu! O que você mais gosta?
Pego desprevenido, demorei a encontrar as palavras certas, mas respondi a verdade:
- Também acho que tem muita mentira. Mas gosto muito os de Exibicionismos. É um dos temas que mais gosto.

018 - A PRIMEIRA TRAIÇÃO DE UMA ESPOSA FIEL

Todas as sexta feira serão reeditados os contos mais antigos com novas imagens. Espero que gostem.
Os objetivos de eu escrever aqui, são dois. Primeiro espero que meu amigo leia e me responda, pois para evitar qualquer problema em casa, rasguei todo bilhete com telefone ou e-mail e agora não tenho como contatar. Segundo, para eu mesma poder relembrar de cada minuto maravilhoso que passei, lendo esse relato, toda vez que sentir saudades do acontecido.
Sou uma mulher casada, realizada, tendo tudo que uma mulher possa desejar. Marido trabalhador, charmoso, carinhoso, advogado de uma indústria. Talvez a única coisa que ainda não tenha são filhos, mas que já pensamos em conceber brevemente. Casei virgem, só tornando mulher na noite de núpcias, motivo porque meu marido me considera de total confiança, Eu nunca havia ido com outro homem para a cama, fato raro entre as garotas de hoje em dia. Talvez pelo fato de morarmos numa cidade não muito pequena, mas do interior, onde as pessoas tomam mais cuidado para evitar fofocas dos vizinhos.

380 - MINHA ESPOSA NO MÉNAGE

Ela tem 24 anos, 1.60 de altura, 64 kg, cabelos cacheado e compridos, seios médios, bunda grande, coxas grossas e uma buceta carnuda e deliciosa. Este história que contarei é verdadeira e este tipo de relacionamento faz parte da vida minha e de minha esposa. Somos casados a 05 anos e de uns 01 anos para cá nossas fantasias sexuais envolviam sempre um outro parceiro, ou seja, fantasiávamos ela transando com outro homem. Isso sempre me deixava muito excitado. Ela também logicamente adorava a situação. Depois de muito pensarmos a respeito resolvemos tentar um encontro com outro homem
Decidimos que teria que ser com um desconhecido para evitar problemas em nosso meio. Ela desejava transar com rapaz na faixa de 22 a 30 anos, negro e bem dotado. Para realizarmos a fantasia optamos primeiramente em buscar via chat. Depois de algum tempo teclando com vários rapazes por fim encontramos um chamado russo. Ele dizia ter e depois comprovamos que ele tinha realmente 25 anos, um cacete de mais de 20cm e cerca de 1.80 de altura. Dizia ter alguma experiência com casais.

379 - NOSSO COMEÇO

Olá! Meu nome é Debora! Tenho pouco mais de 40 anos e sou casada com um homem de 53. Resolvi contar a minha, ou melhor a nossa estória, depois de ler algumas estórias aqui parecidas com a nossa!
Sou Morena, não sou sarada mas tenho um corpo atraente. Meu marido é magro, interessante e sempre disse que tenho um bumbum que chama a atenção dos homens. Não temos filhos. Tive uma criação bem religiosa, nunca tive muitos namorados e casei virgem.
Sempre fui meia boba em termos de sexo. A mais ou menos um uns 5 anos atrás nossa relação tinha esfriado. Ele não me procurava e eu me sentia a pior das mulheres. Fiquei bastante preocupada achando que ele tinha arrumado outra mulher e, com muito medo resolvi dar um basta. Uma noite, na nossa cama, perguntei:
- Você não gosta mais de mim? Ou arrumou outra? Quero saber o que está acontecendo.
Ele primeiro me falou:
- Não irei dizer porque tenho medo que fique brava comigo.

378 - SEGREDOS DEVASSOS 10

“Mas você já sabe o que eu quero meu amor.”
Aquela frase ecoou no meu cérebro, como uma pessoa podia ser assim, tão ameaçadora em uma frase tão sutil, não pude evitar minha careta.
- Não faça caretas, eu já lhe disse, isso vai deixar seu rostinho marcado
Esticou a mão e tocou minha bochecha com ternura, em seguida deu um sorriso angelical sem a maldade do anterior, mas o toque me trouxa lembranças tristes, lembranças ruins e dolorosas, dei um tapa forte na mão que me tocava e ameacei:
- Não encosta em mim.
Uma sobrancelha se arqueou:
- Se não? Vai fazer o que?
Não tinha o que dizer, e sabia que ela notaria:
- Eu, eu.
- Gagueira, um sinal de fraqueza, você nunca aprende né?
O Garçom trouxe a carta de vinhos, assim que abriu não esperou o garçom sair e disse
- Traga o “Paul Hobbs Cabernet Sauvignon Stagecoach Vineyard 2006”, gosto desse.
- Pois não senhora.

017 - NÃO RESISTI AOS GAROTOS

Todas as sexta feira serão reeditados os contos mais antigos com novas imagens. Espero que gostem.
Meu nome é Luciana, tenho 35 anos, sou Loira, de olhos claros, cabelos bem compridos. Tenho 1,60m, 56kg, gosto de me exercitar, tenho uma bundinha empinadinha, coxas grossas, seios pequenos. Rogério, meu marido, tem 38 anos, 1,75m, e é bem bonito, não temos filhos. Nosso relacionamento é bem resolvido sexualmente e somos um ótimo casal.

Moramos em Natal e estamos casados há oito anos. Somos de Santa Catarina, e viemos para Natal em busca de novos campos profissionais. Logo que chegamos, parecíamos turistas, e queríamos conhecer as belezas do lugar. Como Rogério trabalhava durante toda a semana fizemos um trato: eu iria conhecendo os lugares e depois nos finais de semana iríamos juntos aos que mais tivessem me agradado. Adoro praia, e a ideia era principalmente conhecer as praias da região. As praias são maravilhosas e pela época do ano, estavam bastante desertas.

377 - VIDA DUPLA

Tudo começou quando eu ainda era uma estudante de economia na faculdade, vou relatar apenas como entrei nessa vida, o primeiro caso porque o resto foi consequência.
Hoje eu tenho 35 anos, ainda me considero uma mulher muito bonita, mas eu sempre fui uma mulher muito atraente, loira, olhos azuis, corpo bem definido, sempre fui muito elogiada pelos meus dotes físicos na faculdade ou no dia a dia quando solteira eu sempre fui popular entre os rapazes.
Foi lá que conheci o meu marido e começamos a namorar, e foi na faculdade que conheci também a Camila e nos tornamos boas amigas. Amigas intimas na verdade tanto que algum tempo depois eu descobri que a Camila fazia programas por dinheiro. Foi ela mesmo quem me falou justamente numa ocasião onde eu reclamava que a vida estava difícil, a grana curta então ela abriu o jogo comigo e até me falou que se eu quisesse ela arranjaria uma boquinha pra mim fazer uns bicos de vez em quando e levantar uma grana extra.

376 - TITIO

Aos 18 anos, ainda não tinha namorado. Só alguns paqueras da escola onde estudei.
Certo dia chegando a casa da minha vó, eu a chamei e ninguém respondeu. Ouvi então o barulho de água derramando no quintal da casa dela.
Abri a porta e uma visão chocante me apareceu. Meu tio estava tomando banho nu e como estava todo ensaboado, de olhos fechados, ele não me viu.

375 - O BOM RAPAZ

Você já deve ter ouvido aquela velha história: A gosta de B, que gosta de C, que gosta de D. E por acaso, D não gosta de ninguém. Pois bem, fazia meses eu vivia rastejando feito um cão sarmento atrás de Valeriana, uma das garotas mais bonitas e desejadas de toda a escola. Ela era louca pelo Duarte, um fortão que amava a si mesmo acima de qualquer pessoa e não dava a menor atenção a ela.

Essa é uma história em quadrinho retirado do site SEIREN. Se gostar do gênero, continue... 

374 - SEGREDOS DEVASSOS 9

Deixei a academia na mão do funcionário que iria fechá-la a noite, estava empolgado com o jantar em casa pois Carla havia convidado Luciana a menina da academia. Por mais que eu insistisse em querer saber de onde Carla e Luciana se conheciam eu não tinha sucesso, isso parecia algum assunto proibido para Carla pois ela ficava bem nervosa, como estamos casados a bastante tempo e convivemos muito eu já entendi como Carla fica quando tenta mentir.
Passei em uma vinícola e comprei alguns vinhos e queijos para saborearmos a noite, no caminho para casa fiquei pensando em como seria aquela noite com Carla, Fernanda e Luciana juntas pois eram três mulheres fantásticas cada uma no seu jeitinho, mesmo que Fernanda dissera não poder ir Carla disse que ainda havia uma esperança de ela ir mais tarde depois do seu compromisso inadiável.

373 - MERGULHO E SEXO NO PARAÍSO

Estava num paraíso tropical para uma segunda lua de mel e na maior parte das manhãs ia com meu marido para o alto mar, num barco de mergulho, para que mergulhássemos com cilindro.
Nesses dias os mergulhadores eram muitos, uns quinze ou mais. Apenas de instrutores havia quatro deles, e ainda o comandante da embarcação. Como mergulhamos vários dias, ficamos amigos dos instrutores: Sandro, um cara mais velho, e três rapazes na faixa etária dos 20: Wander, Marcilio e Rodrigo.
Todos eles foram sempre bastante atenciosos mas um dia notei um deles, o Rodrigo, me olhando de um jeito diferente: ele me olhava fixamente com aqueles olhos verdes. Ele era, curiosamente, o mais seco deles, e achei que ele estivesse me encarando, antipatizando comigo por sei lá qual motivo. Talvez eu não tivesse posto o lastro no chão com cuidado, ou tivesse jogado minha nadadeira no barco de forma mais brusca, pensei.

372 - MEU PATRÃO E MINHA ESPOSA

Me chamo Carlos, tenho 30 anos, 1.78m de altura, cabelos escuros, 78kg. Minha esposa chama-se Paula, uma linda mulher, olhos verdes, cabelos loiros, 1.75m, 60kg, seios grandes, bunda arrebitada bem feita, uma boca esculpida na face. Linda de tudo e a minha esposa, por onde passa chama a atenção e atrai olhares de cobiça dos homens e de inveja das mulheres.
Domingo, 16hs. Estamos no local e horário combinado, em frente a porta de uma mansão. Antes de tocar a campainha eu pergunto:
- Querida, está tudo bem? Tem certeza que pode fazer isso?
Ela:
- Não acha que é muito tarde para perguntar isso? Levei muito tempo para aceitar essa sua loucura, e agora me vem com esse ar de preocupado?
Eu:
- Tem razão, me desculpe.
Ela:
- Não peça desculpas, isso só piora a situação.

371 - ESPOSA EXIBIDA

Tento puxar na memória, mas não consigo. Não sei quem de nós dois que começou com essa ideia. Mas hoje, mais de 10 anos juntos, virou nosso combustível.
Vera sempre foi uma bela mulher. Desde a 1ª vez que a vi, gostei. E a reciproca também. Alta. Cerca de 1,75m. Loira natural. Cabelos lisos e compridos. Olhos claros. E sempre com aquele sorriso encantador. Poucas vezes não a via sorrindo. Na época apenas 23 aninhos. Dei muita sorte dela também gostar de mim.
Rapidamente engatamos num namoro. A parte sexual foi perfeita desde as primeiras vezes. Ela já tinha experiências de namoros anteriores. Fiquei sabendo bem depois que antes de mim foram mais de 10 parceiros. Segundo ela perdeu a virgindade aos 15.

370 - SEGREDOS DEVASSOS 8

Acho que foram os momentos mais patéticos da minha vida, eu parecia uma adolescente nervosa com um encontro, eu iria encontrar “M” em alguns minutos, eu estava nervosa, tremula e suada, tinha medo de ser convencida das minhas convicções, ser dobrada pela lábia fantásticas e sua voz linda somada com sua inteligência e elegância que domava qualquer homem ou mulher em segundos.
Optei por uma roupa mais formal, uma saia social preta e uma blusinha também social azul escuro mostrando os braços, eram dias quentes e eu não queria suar de calor pois já estava suando do meu nervosismo.
*********************************************
Três anos antes

016 - NA PRAIA, MEU TESÃO VEIO À TONA 2

Todas as sexta feira serão reeditados os contos mais antigos com novas imagens. Espero que gostem.

Na 2ª feira bem cedo o Arnaldo foi para Sampa de onde voltaria na 6ª, minha vontade era sair correndo ir bater na casa deles, dizendo que agora estava só, contive meu entusiasmo, tomei o café da manhã, biquíni & praia. Como ainda era muito cedo, fui uma das primeiras a chegar, o dia prometia ser maravilhoso, não havia uma nuvem no céu e uma brisa fresca vinha do mar, só quem não vinham eram eles… nenhum deles apareceu na praia naquela manhã, e num misto de frustração e raiva, voltei para casa.
Por volta de 17h estava deitada ouvindo música quando escuto baterem palmas, era Zé Luís, ficamos conversando no portão de casa, eu usava uma camiseta regata e a parte de baixo do biquíni, Zé sugeriu que fossemos andar na praia e perguntou se eu já conhecia a cachoeira que tinha por lá e, diante da minha resposta negativa, se prontificou a me levar até lá… só me dei ao trabalho de fechar a casa e fomos. Estava me sentindo estranha, apesar de ter esperado ficar sozinha com aquele garoto, agora que tinha conseguido, morria de medo, quase não falava, ele também parecia pouco à vontade e caminhávamos pela areia, falando amenidades.

369 - CASA DE SWING

Helena disse a Claudio, quando estavam entrando pela primeira vez numa casa de swing:
- Porque estamos fazendo isto?
- O que podemos esperar?
- Não sei como vou me portar em ser assediada por estranhos e muito menos como vou reagir se tu começar a tocar outra mulher. Nossa vida tem sido tão boa, que qualquer coisa poderá ser uma faca de dois gumes. Poderá ser o glacê do bolo ou então nossa ruina como casal.
Eles estavam casados há 25 anos, tinham uma vida estável economicamente, seus filhos já tinham saído de casa para estudar fora. Parecia que a vida estava acabada, a relação entre os dois tinha reduzido o tesão. As trepadas tornaram-se burocráticas.
Claudio teve a ideia de assistirem filmes pornôs na internet e isto deu um upgrade na relação, mas logo já não fazia efeito. Foi quando souberam da existência de uma casa de shows, que aos sábados funcionava como casa de swing. Resolveram ir, só por curiosidade.

368 - QUER VER SUA ESPOSINHA DANDO PARA OUTRO?

Se Você abriu este relato, amigo leitor, sabe exatamente o porquê, não é verdade?
QUER VER SUA ESPOSINHA DANDO PARA OUTRO.
Isto já faz parte de sua cama, de seus desejos, de quando está com sua esposa fazendo amor, vem sem que você queira, o desejo de imaginar ela fodendo com outro macho, gozando, chorando numa pica ENORME e Grossa de outro cara!
E então você diz a ela:
- Quero ver você dando para outro!
E espera ansioso que ela seja receptiva as suas fantasias, que te diga coisas deliciosamente safadinhas, que te chame de:
- Corninho.
Que diga com as próprias palavras dela:
- Adoro foder com outro.
Empinar bem a bundinha e receber a pica dele até os culhões para você ver.
Se você chegou até este ponto, você é exatamente quem este relato procura, leia, e depois me procure, sei como exatamente realizar sua fantasia.

367 - PATRÃO BEM DOTADO

Meu nome é Cláudio, tenho 34 anos e minha esposa Sandra 29, namoramos durante três anos e estamos casados há dois, ela é uma mulher muito bonita, alta, loira, com um corpo perfeito em especial seu bumbum, que chama atenção de qualquer homem por onde passa.
Eu trabalho numa empresa de construção civil a mais de sete anos, na qual, sou chefe do departamento de projetos, e o proprietário da mesma é o seu Geraldo, um senhor moreno, alto, de 53 anos, que inclusive foi nosso padrinho de casamento. Ele gosta muito da gente e sempre que há alguma festa ou comemoração em sua casa ele nos convida e sua esposa dona Ana, também se dá muito com a Sandra.
Há um mês atrás houve um feriado prolongado, nós ficamos em casa porque um irmão da Sandra que mora em Natal vinha passar o feriado conosco, mas, devido alguns problemas surgidos ele não pôde vir, então ficamos sem programação para o final de semana. Sábado cedinho o telefone toca, era seu Geraldo, perguntando:

366 - SEGREDOS DEVASSOS 7

Tomei um banho delicioso no vestiário da academia com água quente, me lavei inteira e meu corpo estava arrepiado, por que o Fernando tem que ser tão gostoso e meter tão bem? Se não fosse isso eu realmente ia me afastar dele por que minha tia Carla realmente é muito chata comigo, mas nem sempre foi assim, ela já foi mais legal mas nossa relação com a “Turminha M” complicou isso, fico preocupada com o esforço que temos que fazer para contornar tudo relativo a esse assunto com o Fernando, não quero magoá-lo e a Carla não quer expor ele a aquele tipo de... de... maldade, sentimento ruim, sei lá.
Fechei os olhos no chuveiro e deixei a água quente cair no meu rosto e me veio à mente Marcelo, Marjorie...
Quatro anos antes.

************************************************************

Acordei de manhã e com a janela iluminada pelo sol, mas o que me incomodava era a movimentação do meu lado, Marjorie veio dormir comigo e com Marcelo na noite anterior por que estava com medo dos trovões, senti movimentos ritmados leves vindo do corpo colado ao meu, abri os olhos e vi Marjorie de costas para mim e de frente para o irmão, olhei com cuidado e vi o cobertor se mexendo pensei em diversas coisas imaginei que ela poderia estar se coçando ou fazendo um carinho no irmão.

015 - NA PRAIA, MEU TESÃO VEIO À TONA 1

Todas as sexta feira serão reeditados os contos mais antigos com novas imagens. Espero que gostem.

Meu nome é Vânia, tenho 28 anos e desde a adolescência me destaquei por ganhar logo as formas voluptuosas que mantenho até hoje. Tenho um corpo bem desenhado, malhado por anos de ginástica. Os seios são generosos, empinados, biquinhos rosados e salientes, que adoram se exibir em um decote mais ousado, as pernas trabalhadas pela ginástica exibem coxas grossas, mas o que eu tenho de melhor é o bumbum.
Todo durinho e arrebitado, uma delícia segundo meu marido e as cantadas que escuto.
Sou casada com Arnaldo, um homem maravilhoso, 30 anos, gerente de uma Agência de um dos mais sólidos bancos do país, o Bancos do Brasil, já faz cinco anos, dos quais eu não tenho nada para reclamar. Eu também tenho o meu trabalho e no último verão, eu estava de férias e as minhas férias que não coincidiam com as dele, mas alugamos uma casa no litoral norte de SP, onde passaríamos o mês de Janeiro. Ele só passaria comigo os finais de semana e viria nas sextas-feiras à tarde e, na segunda cedinho, já terias de subir a serra, com Arnaldo voltando para Sampa durante a semana de expediente.

365 - MINHA ESPOSA FAZENDO SEXO VIRTUAL

Sou um homem casado e venho relatar uma experiência um tanto diferente para mim. Tenho uma mulher linda e muito fogosa, nosso sexo sempre foi extremamente quente e muito bom!
Em um dia destes cheguei mais cedo do trabalho e estava tarado, doido pra transar com a patroa, principalmente por saber que estávamos sozinhos em casa, pois nossa filha estava na casa dos meus pais. 
Quando cheguei pelo silêncio pensei que minha esposa não estivesse em casa. Fui subindo para o quarto e nos degraus da escada começo escutar gemidos. Aqueles gemidos eu conhecia muito bem, eram de minha esposa.
- Isto chupa minha bucetinha bem gostoso, isto... 

364 - QUASE IRMÃOS

Desejo todos nós temos, alguns demonstram mais outros não tem coragem de demonstrar os desejos, reprimidos por causa dos valores da sociedade ou de religião, mas o fato é que todos somos humanos e como tais temos variados tipos de desejos, alguns tem desejo de viajar e não podem, outros desejam algum tipo de comida, outros tem desejos referente ao sexo, e é disso que eu vou relatar agora.
Eu venho de uma família evangélica, meus pais e irmãos frequentam, eu por ser o mais velho depois que fiz 18 anos passei a seguir minha vida e não frequentei mais a igreja dos meus pais por isso era considerado ovelha negra, apesar de eu sempre ter que ouvir principalmente da minha mãe que eu devo voltar.
Ainda não casei, mas quando me aconteceu eu estava com 19 e minha irmã de criação tinha 18, eu vivia aprontando todas na rua, eu tinha uma namorada mas pegava todas que me dessem bola, eu e minha irmã tínhamos um bom relacionamento e conversávamos sobre tudo, principalmente sobre minhas namoradas.

363 - MULHER DE MEU AMIGO

Tenho um amigo com o qual convivo há mais de 12 anos. Somos realmente muito amigos e temos total liberdade para confidenciarmos nossos assuntos mais íntimos, inclusive aspectos de nosso relacionamento sexual com nossas esposas, que também são amigas e com certeza têm a mesma liberdade.
Nossas mulheres gostam muito de dançar, todo tipo de música e isso nos leva a passar muitas noites juntos, principalmente aos fins de semana. Vamos a festas, boates e casas de danças, onde normalmente dançamos um com a esposa do outro. Tudo sem maldades, quer dizer, eu comecei a pensar ir além das danças com a esposa de meu amigo...
Não sei se estou errado, mas o fato é que eu comecei a sentir certo tesão nesse contato mais forte com a mulher de meu amigo...
A esposa de meu amigo é um maravilhoso exemplar de mulher, morena bonita, mignon e dona de uma linda bunda, que muito me excita. Em todos os lugares que a gente costuma ir para dançar não tem um que não repare no bumbum maravilhoso que ela tem.

362 - SEGREDOS DEVASSOS 6

Os dias na praia se foram e voltamos as nossas rotinas, minha rotina consistia em algo diferente da rotina da maioria das pessoas, fui agraciado pela fortuna e não sou uma pessoa que precisa de trabalho, mas meus pais me ensinaram que um homem de verdade deve trabalhar mesmo que não precise pois um homem sem trabalho é um homem sem honra.
Sou sócio de uma famosa rede de academia no Brasil inteiro, mas fico basicamente concentrado em uma delas, a maior, aqui em São Paulo. Gosto muito de ficar lá, tem um ar quase caseiro mesmo que contrastando com os equipamentos de alta tecnologia e televisores individuais por esteira e bicicleta.
Costumo fazer meu dia coisas simples com acordar cedo, malhar, pagar contas, cumprir os desígnios do meu serviço o dia todo, geralmente fico tocando meus negócios online pelo meu Notebook na recepção da academia, então é normal que eu conheça todos os alunos e alunas. No horário das 15h a academia costuma ser vazia se não fosse por Luciana que havia entrado na academia um pouco antes de eu sair de férias.

013 - EXIBICIONISMO QUE DEU CERTO

Todas as sexta feira serão reeditados os contos mais antigos com novas imagens. Espero que gostem.

Meu maior sonho estava para se realizar, pois consegui convencer meu marido a comprar uma câmera fotográfica, estilo profissional para que ele fizesse de mim, fotos bem eróticas. Estou me preparando, com todo o capricho, para realizar este sonho, que é um sonho acalentado desde a adolescência. Lembro-me que quando tinha por volta de uns 15 anos de idade, vi escondida uma revista do meu irmão. Era uma revista de uma famosa e linda artista de cinema, posando para umas fotos, totalmente nua e em poses bem sensuais.
Achei que aquilo tão bonito que me despertou enorme vontade de posar para fotos semelhantes, e que não haveria nada de mais excitante do que fazer uma coisa destas.

361 - AS PUNHETAS DE MEU IRMÃO

A vida não era fácil. Eu e meus irmãos mais velhos trabalhávamos duro debaixo de sol quente, plantando hortaliças pra ter o que comer dentro de casa. Nossa diversão era brincar num córrego que atravessava a pequena propriedade familiar. Mas isso só nos dias muito quentes. Nos dias frios eu gostava mesmo era de sentar num banquinho no terreiro pra ler os poucos livros que ganhava da escola.
Morávamos num casebre de seis cômodos. Havia o quarto dos meus pais e quartos separados para as meninas e meninos, além da sala, tinha uma cozinha grande com um fogão de lenha e apenas um banheiro. Dá pra imaginar a confusão pra usar o banheiro né. Não tínhamos televisão, mas um radinho que meu pai ligava todas as noites na cozinha, onde passávamos nossas últimas horas do dia sentados em pequenos banquinhos ao redor da mesa na cozinha.

360 - TARDE DE DOMINGO DELICIOSA

Mauro e Júlia são super amigos nossos. Um casal bem simpático e com o qual temos muita amizade e convívio regular há vários anos.
Júlia é uma loirinha bem bonitinha, toda durinha, peitos médios, bundinha saliente, pernas bem torneadas resultado de mais de dez anos de dança e academia. Tem cabelos cor de mel e olhos castanhos claros muito bonitos.
Mauro é moreno, alto, esbelto, cabelos pretos, pele castanha, com aparência sempre simpática e sorridente.
Meu nome é Ricardo. Eu sou claro, 1,80m, olhos azuis, cabelos curtos e mantenho meu corpo dentro do limite para não perder a elegância. Tenho mais de 45 anos e sou considerado um coroa, em boa forma.
Ana, minha mulher, é morena clara, tem cabelos pretos lisos e com 35 anos, conserva toda a opulência de uma mulher de tamanho médio, corpo muito bonito, pés delicados e um jeito natural de ser que exerce uma sensualidade muito forte em todos. Já estou acostumado com a atração que ela exerce. As pessoas sentem tesão nela e me admiram pela mulher tão bonita que consegui conquistar. Mas eu até gosto disso, porque sou liberal e extrovertido. 

359 - ELA PERGUNTOU SE PODIA FAZER TOPLESS

Tudo começou quando Bruno mudou-se para o edifício onde morávamos. Eram dois apartamentos por andar e nós morávamos numa das coberturas. A outra era ocupada por aquele médico e esposa, esposa que comi a valer e que Carla também devorou e foi devorada por ela. Mas eles mudaram de cidade e aí ficamos tristes, sem saber se os novos futuros moradores seriam tão legais quanto ela.
Só ela, porque ele nunca participou de nada, nem sabia de nada! Pois então, dali a pouco menos de um mês, Carla acompanhou, pelo olho mágico, a visita de um corretor que trazia um possível comprador. E ele ficou interessado, tanto é que, depois de visitar as dependências, bateu a campainha da nossa porta.

358 - SEGREDOS DEVASSOS 5

Conheci Marcelo quando a mais de quatro anos atrás quando eu tinha dezessete, anos a semanas de completar dezoito ele já tinha dezenove anos e meus pais foram contra mas ele era um bom rapaz, pelo menos é o que parecia para todos, logo ele aprendeu que meu apelido era Fefe, uma contração de Fernanda, meu nome de verdade, se eu pudesse escolher escolheria simplesmente “Fê” pois acho um simpático e delicado.
Desde os primeiros dias de nosso namoro Marcelo sempre foi muito atirado, já no primeiro dia meteu a mão por debaixo da minha blusinha agarrando meus seios sem se importar se eu era maior ou menor de idade. Nessa época eu fazia aulas de direção particular para poder me habilitar, havia marcado a prova de direção para a semana que faria dezoito anos pois meu pai havia me prometido um carro, eu estava eufórica.

012 - FANTASIAS

Todas as sexta feira serão reeditados os contos mais antigos com novas imagens. Espero que gostem.

CENA 1:
O local é lindo. Um quarto de um hotel, numa cidade qualquer, com uma sacada de frente para o mar. A luz bem suave, uma música gostosa e um clima contagiante.
Ela está linda e gostosa como sempre. Salto alto, um vestidinho leve, de alças, um generoso decote na frente e com as costas totalmente nua. Sutiã. Não tem necessidade. Diante de peitos tão perfeitos. Calcinha? Ou é muito minúscula ou não está usando, pois não percebo nenhuma marquinha sob o tecido.
Puxo ela e começamos a dançar bem lentamente. Os dois de olhos fechados. 

357 - OUSADIAS DE CASAL 2

Já fazia mais de 2 meses desde a noite de solteira de Tereza na boate. Embora tivesse sido a experiência mais empolgante do casal e tivesse rendido assunto e combustível para incontáveis noites de transas tórridas, eles não tinham pensado no passo seguinte.
Simplesmente não tinham pensado no assunto. Aquela experiência tinha sido o ponto alto de ousadia e transgressão e aparentemente ficariam naquilo mesmo.

Essa é uma história em quadrinho retirado do site SEIREN
Se gostar do gênero, continue...

356 - CORNO MANSO

Acho que toda mulher tem pelo menos um corno manso em sua vida, mas a maioria não sabe aproveitar.
Eu tive vários, não sei se me atraio pelo perfil de forma inconsciente, mas quase todos meus namorados foram mansinhos. Não me vejo como uma mulher infiel, me vejo como livre. Já tive meus problemas de consciência em ser assim, mas a culpa não é minha - é da Sociedade em que vivemos.
De qualquer modo, meu primeiro corninho mansinho foi meu primeiro namoradinho sério. Eu era bem novinha e estava descobrindo o mundo, foi ele quem tirou minha virgindade e meio sem querer me ensinou a ser uma putinha, mesmo.
Claro que a gente nem sabia direito o que era isso, na época. Ele era marrento, ciumento, todo machão com fama de comedor e talvez tenha sido isso o que me levou a traí-lo tantas e tantas vezes.

355 - PRAIA DE NUDISMO COM O AMIGO DO MARIDO

Adoro exibir minha esposa. Ela tem estatura mediana, cabelos castanhos, corpinho perfeito com uma bunda grande e peitos médios, deliciosos por sinal...
No último carnaval, ficamos uns dias em um apartamento na praia de Santa Catarina: eu, minha esposa e um casal de amigos.
Estávamos muito animados, pois fazia tempo que não saíamos para uma viagem. Logo no primeiro dia já fomos para a praia e minha esposa, apesar de não concordar totalmente quando compramos, resolveu usar um biquíni pequeno que eu mesmo escolhi na loja, que contrastava muito bem com seu corpinho branco e não é do tipo cortininha, o que não dá a opção de deixar maior. Ela disse:

354 - SEGREDOS DEVASSOS 4

Otávio estava muito tarado ultimamente, esses dias nessa casa da praia estava deixando ele louco, só não havíamos transado mesmo por que já tínhamos nos esfregado de tudo quanto é jeito, eu já tinha batido punheta pra ele e realizado o seu sonho de me ver nua e passar a mão no meu corpo todo. Desde que éramos adolescentes brincávamos desse jeito, ele sempre me encoxava e tentava me beijar mas nunca fazíamos nada sério, vez por outra eu o encontrava no metro ou ônibus nos tempos que eu ainda precisava trabalhar e deixava ele me sarrar me encoxando o caminho todo, as vezes via que as pessoas percebiam a encoxada, o pau dele duro passando no meio da minha bunda, agarrando minha cintura, beijando meu pescoço, me falando absurdos, mas era muito bom.

009 - NINFETA

Todas as sexta feira serão reeditados os contos mais antigos com novas imagens. Espero que gostem.

Sou o Paulo, 40 anos, moreno claro, com 1,80 m, 75 kg, separado há 4 anos. Corpo muito bem cuidado por horas de academia, Militar das Forças Armadas. Moro sozinho num apartamento num dos melhores bairros da zona sul carioca e levava uma vida tranquila até duas semanas atrás, quando recebi uma ligação de uma prima que não via há muitos anos.
Nessa ligação ela me pediu para receber, em meu AP por uns dias, sua filha, que teria que fazer um curso e ficaria muito caro se tivesse que ficar hospedada em algum hotel. Pego de surpresa não tive como recusar. Além de me jurar que Bia não me daria trabalho, me disse os detalhes e no final ela disse uma frase que só depois fui entender:
- Cuidado com a Bia.

353 - VOCÊ QUERIA QUE EU TREPASSE COM OUTRO

- Você queria que eu trepasse com outro homem…
Era minha mulher, do outro lado da linha, dizendo que havia realizado minha fantasia. Eu a interrompi perguntando:
- Com quem foi? Alguém conhecido?
- Não. Só rolou…
- Como assim? “Só rolou” … Você tem que me contar tudo! Os detalhes…
- Pelo telefone? Com você aí no escritório? Está louco? Você vai ficar com tesão e… A fantasia de ser corno é sua; não minha. Eu nunca vou admitir você transando com outra; deixamos isso bem claro.
- O fato de eu ter dado para outro não implica que você terá o mesmo direito e vai poder transar com outra mulher. Você vai acabar comendo essa sua assistente bonitinha… NÃO! Aqui em casa eu conto tudo. Com detalhes. Venha logo.

352 - NUNCA IMAGINEI QUE TRAIRIA MEU MARIDO DESTA FORMA

Me chamo Marta, tenho 25 anos, tenho 1,69, pele clara, cabelo quase loiro e alguns quilinhos acima do peso, seios grandes e um quadril largo.
De todas as possibilidades que já passaram pela minha cabeça, de como trair meu marido e qual era a necessidade de fazer isso eu nunca fui muito longe com minha imaginação.
Não faz muito tempo eu havia me envolvido com minha coordenadora, trocamos alguns beijos e até saímos juntas, isso pra mim foi um tabu quebrado, já que nunca sequer pensei em trair meu marido, temos pouco tempo de casados, apesar de muito tempo que nos conhecemos.
Nunca me atraí por nenhum homem além dele. Como sempre fui muito simpática converso com todo tipo de homem, desde os mais idiotas (que são vários) aos mais gentis e simpáticos. Onde trabalho tem um rapaz que gerencia o condomínio (trabalho em um prédio) que é um desses mais simpáticos. Ele é um pouco mais velho que eu, tem seus 40 anos, é moreno e pelo que sei recém separado.

351 - ELE VAI SE ACABAR NA PUNHETA OUVINDO MEUS GEMIDOS

Vou abreviar esse início já que é muito parecido com diversos outros relatos que leio em vários sites.
Vou citar o essencial. Minha esposa se chama Carla e tem 36 aninhos. Baixinha, pouco abaixo de 1,60m e branquinha. Os cabelos são castanhos claros e segundo ela, gosta de mantê-los com corte Chanel, que combina com seu rosto fino e corpo mignon. Tem próteses de silicone que deixaram seus seios bem bonitos e uma bundinha bem gostosinha.
Eu sou apenas o João. Gostaria de dividir com vocês um fato que mudou nossas vida 360 graus.
Somos iguais a todos os outros casais relatados em contos pelo mundo fora. Casamos cedo. Ela com pouca experiência, depois de um tempo as coisa foram esfriando e decidimos não deixar as coisas chegarem a ponto de o casamento acabar ou arranjarmos amantes.

350 - SEGREDOS DEVASSOS 3

Terminei meu banho e saí do banheiro, Carla não estava mais lá, assim que cheguei na cama vi a tela do celular dela aceso, alguém tinha acabado de ligar, era Marjorie, sua colega de venda de cosméticos, coloquei uma bermuda sem cueca mesmo com uma camiseta regada e desci, assim que cheguei no pé da escada percebi o intenso movimento, era o almoço, pessoas passavam para lá e para cá com comida, senti uma mão na minha, era Carla, minha esposa:
- Vai comer amor?
Olhei para ela e vestia um vestido curtíssimo com alças finas, o pano era praticamente transparente, se ajustando perfeitamente em seu corpo. Falei enérgico:
- Vou sim, faça meu prato.
Ela fez que sim com a cabeça e foi até a cozinha, apoiada no balcão da sala estava Fefe, quando me viu acenou levemente, me aproximei dela e vi que ela tomava algo alcoólico e conversava com o Otávio, colei meu corpo ao dela para cumprimenta-la e para que Otávio visse mesmo. Agarrei sua cintura e dei-lhe um beijo na bochecha:

006 - MARIDO COMPREENSIVO

Todas as sexta feira serão reeditados os contos mais antigos com novas imagens. Espero que gostem.

Só os cegos não percebem que após um tempo de relacionamento as coisas no casamento esfriam. No nosso caso, já são 12 anos. Casei novinha, com apenas 18 anos. Hoje com 30 posso garantir que me tornei uma belíssima mulher.
Cabelos compridos, aloirados. 1,68 m e 66 kg. Meu corpo é malhado. Minha bunda super empinada chama muito atenção independente da roupa que uso. Meus seios a ciência ajudou a deixarem perfeitos.
Meu marido, Bruno, 34 anos. Empresário do ramo automobilístico trabalha muito para nos dá o conforto necessário. Temos uma vida muito tranquila.
Vamos ao que interessa. Há dois anos iniciamos no mundo liberal. Das fantasias ditas no ouvido na hora da transa até a pergunta que lhe fiz foram muitos anos.

349 - DE DIA, PRAIA DE NUDISMO... DE NOITE, MÉNAGE

Eu e Lívia somos casados há 20 anos, e até recentemente nossa vida sexual era comum, monótona com uma ou outra apimentada, mas no geral sempre trivial. Nesses anos todos tentei algumas vezes mudar isso, cheguei a sugerir outro homem em nossas relações, mas quase deu divórcio, minha mulher era muito conservadora, cheia de tabus, e assim nossa vidinha ia sendo levada como a maioria dos casamentos, até que no mês de julho fizemos uma viagem de férias pelo litoral da Bahia e numa dessas paradas foi que nossa vida começou a mudar.
Minha mulher é bonita, clara, cabelos pretos encaracolados, seios maravilhosos, um belo corpo para seus 45 anos. Passávamos por Trancoso onde resolvemos nos hospedar em uma deliciosa pousada, como já passava das 23 horas, fomos logo descansar.

348 - ADOREI DAR O CUZINHO

Tenho 35 anos, Diretora de Negócios em uma empresa famosa, muito bem de vida, falo inglês, francês, e alemão faço academia, silicone nos seios, muito atraente mesmo.
Eu e meu ex-marido temos uma boa relação, de amizade e de respeito. Até então, imaginava que tinha uma vida normal, mas após uma grande crise em meu casamento, descobri que sexo era muito mais do que eu tinha.
Nunca fiz sexo Oral, nunca fiz sexo Anal e também nunca comentei isso com ninguém. Na verdade, nunca tocamos neste assunto. Ou por falta de interesse, ou por desconhecimento mesmo. 
Devido minha profissão, participo de muitos eventos de empresas, convenções. Houve um evento em um Hotel no mês de Abril deste ano. Por 4 dias. Com café, Almoço, café da tarde, tudo bem legal. Fui sozinha. Só que na hora das refeições, eu sempre ficava mais reservada sentando sozinha.
Na hora do almoço, me servi e fui para a mesa. Havia apenas alguns lugares vazios e sentei me de frente a um homem. Ele também está só e começamos a conversar. Perguntei para ele:

347 - COMI O CU DA CASADA VADIA

Laura é uma mulher muito atraente. Ela tem seus 35 anos e é casada com o Mário há mais de 15 anos. Ela é gerente numa das minhas equipes de vendas. Sempre tive muita vontade de fazer transar com ela, mas nunca surgia a oportunidade certa.
Ela e seu marido também conhecem minha esposa e por isso era muito difícil uma aproximação. Mas sempre que eu tinha alguma oportunidade eu a provocava dizendo:
- Você ainda será minha amante e seu marido já não está dando conta disso tudo.
Ela ria e levava sempre na brincadeira.
Mas nesse final de semana a empresa proporcionou uma festa de confraternização apenas para os funcionários, num hotel fazenda perto de S. Paulo.

346 - SEGREDOS DEVASSOS 2

Andamos durante quase uma hora nas areias, sem rumo, falamos sobre tudo exceto sobre sexo, não que escolhêssemos isso, vez por outra eu reparava no balanço macio dos seios dela, ela por sua vez sorria descompromissadamente quando me pegava olhando seus seios.
Determinado momento encontramos algumas pedras e resolvemos voltar, e em nossa direção vinha um homem negro muito alto e forte, sua pele brilhava suada e Fefe comentou:
- Que negoção daquele moço né?
Olhei para o pau do rapaz e era realmente grande e grosso, eu ri e disse:
- Parece um cavalo.
Ela olhou pra mim com uma cara mista de graça e indignação, esperou o rapaz passar e pegou em meu pau
- Você também tem um pau delícia.
Segurou apertando-o na mão e ele cresceu imediatamente, Fefe deu uma risada alta e correu para o mar, olhei em volta e um casal mais velho vinha em minha direção me olhando e provavelmente comentando sobre eu estar de pau duro, antes que dissessem algo eu corri atrás de Fefe.

005 - O SOBRINHO

Todas as sexta feira serão reeditados os contos mais antigos com novas imagens. Espero que gostem.

Meu nome não é importante. Tenho 33 anos. Corpo muito legal. Minha Neura com os seios foi resolvida com próteses. Sou a caçula de três irmãs. Muito bem casada há uns 4 anos com um homem maravilhoso que soube explorar muito bem TODOS os mínimos detalhes de meu corpo. Acho que vocês me entenderam rsrsrs.
Sempre fui muito namoradeira. Transei muito antes de conhecer meu príncipe. Mas gozar como agora foram pouquíssimas vezes.
Ele não recrimina meu jeito. Pelo contrário, me incentiva a usar roupas curtas e transparentes. Meus biquínis são minúsculos. A marquinha produzida o deixa louco. E as fantasias? Meu Deus, como uma cabeça pode sair tanta depravação. Eu curto isso. Me deixa acessa. E ele também.

345 - ACABEI TRAINDO MEU MARIDO

Meu nome é Lu, e sou casada há 7 anos e sempre vivi muito bem no universo familiar, amo meu marido, temos uma linda e querida filha de 4 anos, tenho 36 anos, 1,60 e medidas distribuídas por um corpo que não tem jeito… sempre alguém dispara como irretocável, um tesão, delícia e etc.
Sou morena clara, cabelos longos, talvez mais uma razão porque sempre gostei de malhar, fazendo uma manutenção constante de minhas formas exuberantes, um lindo bumbum, cintura fina, manequim 38/40, coxas lisas e grossas, seios do tipo médio e durinhos, mesmo já tendo o privilégio de ter amamentado, meu rosto e boca do tipo sensual, além da boa alimentação que não dispenso.

344 - EXIBICIONISMO E SEXO EM PORTO SEGURO

Somos um casal que adora curtir as nossas fantasias de exibicionismo. Malhamos bastante e a Bianca foi agraciada pela natureza com uma bunda extraordinária e umas pernas grossas que só falta quebrar o pescoço de muito marmanjo quando passa.
Seus cabelos louros e longos, aguçam ainda mais os olhares masculinos. Com tudo isso ela ainda se sente envaidecida e excitada quando sente o assédio dos homens ao seu redor e adora se exibir em roupas minúsculas, ainda mais quando bebe.
É claro que sempre procuramos lugares onde não possam nos reconhecer, visto que trabalhamos em importantes empresas e somos muito conhecidos na nossa área profissional.

343 - OFERECI MINHA ESPOSA PARA OUTRO MACHO

Somos um casal de São Paulo, eu tenho 40 anos e ela 35. Estamos juntos há 8 anos. Já são 2 de namoro e mais 6 felizes anos de casamento. Cíntia é uma mulher maravilhosa, companheira, dedicada e mais recentemente provou ser uma ótima mãe, já que fomos abençoados com a chegada de nosso primeiro filho.
O sexo com ela sempre me deu muito prazer. Quando começamos a namorar ela já mostrou que tinha experiência na área. Sabia fazer muita coisa na cama e fazia muito bem. Mas depois de um tempo de sexo convencional, lhe fiz uma pergunta que mudaria minhas convicções e formas de pensar:
- Qual sua maior fantasia sexual?

342 - SEGREDOS DEVASSOS

Meu nome é Fernando, tenho 1,86 de altura e peso 85 quilos, durante a adolescência estive muito acima do peso e isso me tornou paranoico com meu peso. Carla, minha esposa é bem mais baixa que eu, tem 1,65 de altura e pesa 60 quilos, isso pode fazer ela parecer ser pesada mas ela tem grandes seios e uma bunda realmente avantajada que é sustentada por um par de coxas deliciosos, sua pele é branca bronzeada pelo sol da piscina, seus olhos são negros e seu cabelo é naturalmente negro e oscila entre o castanho e o loiro.
Somos casados a quatro anos, no total, juntos a oito anos. Junto com minha Carlinha passamos por muitas histórias prazerosas mas o que quero falar nesse momento é sobre a sobrinha de Carla, a Fernanda ou Fefe como todos a chamam.
Nos primeiros dias de namoro conheci Fefe, ela tinha quatorze anos na época, sempre foi uma menina linda, pele branca e cabelo negros e lisos iguais ao da tia mas naquela época já havia passado minha esposa em altura.
Hoje com vinte e dois anos Fefe é uma mulher de respeito, terminou recentemente um namoro conturbado fazia mais de um ano que eu não a via, seu namorado não a deixava sair para lugar nenhum pois tinha muito ciúmes, ela se isolou dos amigos e da família.

003 - MOMENTOS ÍNTIMOS

Todas as sexta feira serão reeditados os contos mais antigos com novas imagens. Espero que gostem.

Sabíamos que tinha outros dois homens ali na sala. Dois amigos do meu noivo que resolveram ir embora ao amanhecer. Todas as outras pessoas já tinham se retirado. A reunião era para comemorar o aniversário do meu noivo.
A música lenta e suave que tocava na rádio foi um convite a nos enlaçarmos numa dança que agora se mostrava bem sensual. Pelos olhos semifechados conseguia perceber que a atenção era toda direcionada a nós dois.

341 - COMI A MÃE GOSTOSA DOS MEUS AMIGOS

Nós éramos grandes amigos, na verdade tínhamos o nosso grupo de amigos na rua mas acabava que Eu, Vitor e Felipe que eram irmãos e o Bruno a gente era mais próximo, passávamos a maior parte do tempo na casa do Vitor e do Felipe jogando Ping Pong, totó, piscina e vídeo game que naquela época não era para qualquer um, pelo menos não estava no meu alcance e nem do Bruno.
A tia Marcia, como chamávamos também não confiava de chamar os outros meninos da turma pelos motivos dela já que a maior parte do tempo ela estava fora de casa nos dias de semana e só permitia deixarem eu e o Bruno ficar lá sem ela presente e acabava que com ela presente também só ia a gente.
Na rua os garotos sempre pegavam no pé do Vitor e do Felipe zoando pela mãe deles serem uma baita de uma gostosa, eu e o Bruno a gente também zoava mas era algo mais leve já que éramos mais próximos dele e naquela época de 14-15 anos o pessoal não pegava leve, na frente deles ficavam dizendo que se a Marcia desse mole eles iam comer, davam detalhes de como comeriam e tudo mais, mas na verdade a maioria se não todos da turma eram virgem, na época eu já não era mais virgem mas hoje eu me consideraria virgem naquela época já que a experiência era 0, dava para contar nos dedos de uma mão quantas vezes eu tinha transado se é que aquilo poderia se chamar de transa.

340 - PRIMEIRA TROCA

Era uma noite de sábado e também era o dia do aniversário do Cassius, pra comemorar, fomos tomar uma cervejinha nos bares da orla, ficamos lá até meia-noite aproximadamente, quando resolvemos voltar pra casa e terminar nossa comemoração particular de forma mais intima.
Assim que chegamos ao prédio que moramos, encontramos um casal de vizinhos que moram no andar de baixo, Paula é moreninha, olhos verdes, cerca de 23 anos, bundinha arrebitada, coxas malhadas e Mauro moreno-claro, alto, uns 38 anos, um homem bem bonito.
Eles nos cumprimentaram e em tom de brincadeira nos perguntou:
- O que estão fazendo fora de casa tão tarde?
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...