249 - Assumindo Que Sou Corno

Sou a Ana e já me apresentei em contos anteriores, tenho 27 anos e sou casada com o Rodrigo. Vivemos um relacionamento liberal a 6 anos e até o dia que acabei transando com 3 rapazes na frente dele não curtíamos essa coisa do marido ser o corno da estória, víamos tudo como um relacionamento liberal apenas. Também curtimos meninas e casais, mas não tenho como negar que os homens dotados são o que mais me dão tesão.
Depois desse dia que transei com os 3 (uma loucura que foi) e acabei chamando ele de corno, enquanto estava com os outros, nós conversamos muito. Chegamos à conclusão que são apenas palavras e que deixariam as nossas aventuras ainda mais apimentadas.

248 - Desta Vez Foram 3 Amigos

Já nos apresentamos nos contos anteriores, somos Ana e Rodrigo, casados e praticantes de swing, ménage masculino e ménage feminino. Temos um relacionamento liberal e sem traições. Ana tem 27 anos e uma morena deliciosa e tem muito fogo. Sempre tivemos a fantasia da Ana transar com vários caras, 3 ou mais, mas essa era considerada, por nós, uma fantasia que nunca seria realizada.
Nos últimos meses fomos fazer uma viagem a Cuba e fizemos um curso e mergulho e acabamos virando praticantes do novo hobby. Uma vez por mês íamos mergulhar com o pessoal de uma operadora de mergulho próxima a nossa casa. E nisso conhecemos 3 amigos, Marcio, Alexandre e André.

247 - Experimentando um Novo Amigo

Minha primeira experiência com um amigo na frente do meu marido foi ótima, o amigo foi perfeito para uma iniciante e com uma disposição realmente invejável. Realmente ele só pecou em duas coisas: um pau maior e mais grosso me faria mais feliz e queria ter sido mais puta. Afinal o meu grande tesão é ser muito puta com um amigo enquanto o Rodrigo só fica olhando e fotografando. Isso realmente me excitou, várias vezes eu olhava pra ele e aquilo me dava mais tesão.
O novo amigo é um amigo de longa data do Digo, com fama de bem dotado. Nós queríamos aprontar pra cima dele e o mais gostoso é que ele não tinha nem ideia. Marcio tinha 32 anos, em ótima forma física e com cara de que aceitaria uma abordagem nossa. Como milhões de vezes marcamos de ir na casa dele para tomar umas cervejas e umas caipirinhas, a única diferença é que desta vez ele não sabia que as nossas intenções eram as melhores possíveis.

246 - Comida Pelo Amigo

Bem, esse é o nosso primeiro conto, então nada melhor do que começarmos nos apresentando. Sou Rodrigo, tenho 35 anos e sou casado com Ana. Uma típica gatinha do Rio de Janeiro hoje com seus 26 anos.
Criamos coragem de começar a publicar nossos contos somente agora, mas na época que eles aconteceram várias fotos foram feitas e no dia seguinte de cada uma das aventuras algumas anotações eram feitas dando a versão dos dois. Então este conto é uma reconstituição de um fato real que vamos tentar contar sendo o mais próximo possível da realidade.

245 - Meu Presente Me Fez Gozar

Miriam esta deitada de costas na cama do casal, tem os pulsos e os tornozelos atados nas quatro colunas da cama. Hoje é seu aniversário, ela está completando trinta e oito anos mas seu corpo não demonstra isso, muito pelo contrário… Sua atenção está totalmente voltada para o marido que hoje está agindo de maneira algo diferente.
Miriam e Rafael são casados a dezenove anos, se amam e praticam sexo como amantes apaixonados desde que eram namorados. Os dois adoram o sexo e estão sempre prontos para experimentar coisas novas. Essa coisa de amarrar, bondage e fetiche já é comum para eles, pelo menos uma vez por mês eles fazem um “teatrinho” onde Miriam finge estar com medo e Rafael banca o dominador implacável:
-Agora você vai pagar caro sua vadia! Deite-se e cale essa boca!
Miriam faz carinha de choro:
-Por favor Rafa… O que você vai fazer comigo???

244 - Comedor de Casadas

Sinto prazer em convencer uma mulher casada a trair seu marido. É algo mais do que uma simples conquista.
Uma mulher casada não vai ter coragem de me incomodar com seu cotidiano, filhos ou problemas domésticos. Se a máquina de lavar quebrou é problema do corno. Eu só preciso fode-la!
Não existe sensação melhor de poder quando você está fodendo uma esposa na frente do marido. Melhora muito ao você elogiar a bunda e a boceta da esposa, ou então quando digo como a vagina dela é apertada e está esticada para o meu pau muito maior que o dele.

243 - Esposa Por Empréstimo

Quando ligo o motor do carro, meu coração começa a bater mais rápido. Estou dirigindo pela estrada que marca a linha entre a minha vida como mãe, como respeitosa esposa e minha vida como uma puta devassa. No momento em que paro o carro em frente a sua casa, a transformação está concluída. Serei sua pelas próximas horas e estarei pronta para aceitar tudo que me oferecer.
Você abre a porta e me puxa para dentro. Encosta-me contra a parede. Sinto sua respiração em minha orelha enquanto você sussurra:
- Pronta para jogar?
Dou um sorriso e digo que sim com a cabeça. Você me sorri de volta e me beija rapidamente, urgentemente. Então me empurra e diz:
- Então vamos começar!

02 - Exibicionismo

No aniversário do blog, o conto mais visualizado.

Autor: Casal Feliz
Meu nome é Nanda. 28 anos. 1.60m. Loirinha. Gosto do meu corpo. Meu marido também. Sei que minha bunda o deixa louco. Não só ele. Diego tem 34. Pouco menos de 1.80m. Vejo minhas amigas e estranhas secando ele. Tenho um pouco ciúmes, mas no fundo tenho orgulho do homem que tenho.
Não é de hoje que gostamos de frequentar praias isoladas para eu praticar o topless e um discreto exibicionismo. Moramos no interior do RJ e somos bem conhecidos na nossa cidade. Gostamos de viajar para as praias nordestinas e de SC.

061 - Finalmente o Primeiro Menage de Minha Esposa

“Não acredito”.
É o que se passava pela minha cabeça naquele momento quando estacionamos no local combinado.
Chegamos uns 25 min antes do horário combinado. Por ser dia de semana o shopping estava bem vazio e demos umas voltinhas antes de sentarmos na praça de alimentação. Ana chamou muito atenção enquanto olhávamos as vitrines. Acredito que mesmo que estivesse lotado, ela seria o alvo principal dos olhares masculinos devido aquele vestidinho que usava, os seios imponentes e a falta de marquinha de calcinha com certeza chamou a atenção dos mais atentos. Escolhemos uma mesa onde poderíamos ver quem chegasse e menos de 10 min ele entrou. Ana o reconheceu logo:
- É ele.
Falei:
- Tem certeza?
Ela:
- Tenho sim. É ele com certeza!

032 - Primeiro Menage de Minha Esposa

Estou dirigindo já a cerca de 15 minutos. Olho para o lado e a vejo Ana olhando a paisagem. Ela está linda como sempre. Seus cabelos estão bem loiros e todo cheio de cachinhos. Está usando o famoso pretinho básico que tem um nada discreto decote que revela a exuberância de seios perfeitos. Um vestidinho bem curto que deixa suas coxas grossas quase que totalmente a mostra vez. De vez em quando em faço um leve carinho nelas e sinto a maciez de sua pele. Nesse momento ela me olha e me dirige um lindo sorriso.
Meus dedos procuram por locais em que o tecido esconde. Toco sua bucetinha e ela segura minha mão e diz para eu prestar atenção no trânsito. Sem calcinha e também sem sutiã. Eu sei porque vi ela se arrumando.

014 - A Culpa Agora Foi Dela

Continuação de:

A culpa é toda minha

Os fatos que serão narrados a seguir de certa forma são uma continuação do anterior. Essa quem está narrando é a Denize.
Durante aquele ano tanto o Fernando como o Fred, ligaram várias vezes nos convidando para um final de semana em BH, coisa que devido aos contratempos não pode ser aceito, apesar de que toda ligação era comemorada com rodadas de sexo maravilhosa lembrando-se daquela tarde que foi única até aquele momento.
Poucos dias depois do fim do ano letivo daquele mesmo ano, fui escolhida pela Secretaria de Educação, junto com outros funcionários há passar 5 dias em Minas para um curso. Quando contei a novidade para o Léo, a 1ª coisa que ele me perguntou é se eu iria me encontrar com eles.
Eu:
“Se você não ficar zangado!”.
Ele:
“Mas você quer?”.
Eu:
“Quero sim. Posso? “.
Ele:
“Poder pode, mas cuidado e não vai dar bandeira para os outros que estiverem lá”.

008 - Prazeres

Podem me chamar de Manu. Sou uma mulher nova e bonita. Aliás, muito bonita. Tenho 35 anos, loira, 1.70m. Solteira e a muito tempo conquistei minha independência financeira. Trabalho numa multinacional que tem uma de suas filiais no RJ, cidade que passei a morar e gostar a cerca de 5 anos.
Não vou ficar aqui cheia de pudores. Gosto de sexo. Desde de novinha, quando perdi minha virgindade com um namoradinho nunca mais parei de transar. Não sou puta. Não vou para cama com todos, chego a ser bem seletiva, mas se gosto do cara, não faço cú doce.
Faço sucesso entre os homens de meu círculo de trabalho e amizade. Já saí com alguns deles. E sem querer ser pretensiosa, já sendo, afirmo que poucos conseguiram dar conta e me saciar.

071 - Fantasia do Meu Marido: Menage Com um Negro

A fantasia era do meu marido mas eu acabei entrando no clima e bem… acabei por aceitar a realizar, então pra resumir. Eu sou casada há mais de 14 anos tenho dois filhos adolescentes, acho que sou do tipo gostosona, porque meu marido sempre me elogia falando que amigos dele davam indireta sobre mim. Acontece que meu marido na hora do sexo gosta de apimentar falando coisas picantes ao meu ouvido, segundo ele, para dar mais sabor e tesão na hora do rala e rola e apimentar o relacionamento.
E numa dessas fantasias meu marido sempre me dizia que a fantasia dele era me ver transando com um negão, bem dotado, eu lhe falava:
- Mas porque um negão e porque bem dotado?
O tamanho do seu é suficiente pra mim nunca reclamei, mas ele dizia:
- Você diz isso porque nunca experimentou.

007 - A Culpa é Toda Minha

Relutei muito em escrever esse relato. Esses fatos aconteceram no sábado após o carnaval de 2012. Depois de passarmos o dia num churrasco de amigos em um condomínio em Búzios RJ, onde tinha por volta de 40 pessoas.
O local: Uma suíte de um hotel de frente para praia de Cabo Frio RJ. Os personagens: Eu, a Denize, o Fred (40) e o Fernando (25).
O acontecimento: Estou sentado numa poltrona a uns 3 m da cama onde Fred em pé é chupado por Denize, que de quatro recebe estocadas de Fernando.

004 - Casais Amigos

Autor: Guto e Bia
O fato é mais excitante do que erótico. Todos os nomes foram trocados para manter o anonimato perante a sociedade. Somos um casal amigos a cerca de 10 anos. Meu nome é Guto, tenho 38 anos, corpo muito legal para minha idade, 1,80 m, moreno claro. Minha esposa, Bia, 33 aninhos, 1,65 m, loirinha e também com um belo corpo, destacando seus belos seios naturais e incrivelmente desafiando a lei da gravidade (imaginem).
O casal amigo, Beto, 34 anos, mais baixo um pouco que eu e rato de academia, também moreno. Sua esposa Clara, 29 anos, branca, de cabelos pretinho e meio curto. Muitas tatuagens pelo corpo. Mulher bonita e gostosa, posso dizer, pelas várias vezes que a vi de biquíni (micro) para ser mais leal.

010 - Cumplicidade

- Você quer me ver transando com outro homem?
Aquela pergunta veio meio que de repente e me fez abrir os olhos. E após ela me fazer a pergunta voltou a colocar meu pau em sua boca, mas sem deixar de me olhar. Perguntei:
- Por que isso agora?
Estava descansando depois de uma sessão de sexo quente onde ela gozou duas vezes e eu uma. Meu pau ainda tinha umas gotas de sêmen que ela fazia sempre questão de deixar limpinho.
Sua boca subia e descia lentamente. Seus olhos estavam fixados no meu. A boca foi substituída pela mão. Era mais um carinho do que uma punheta. Voltou a falar:
- Há muito tempo que queria te perguntar isso! Você quer?

011 - Troca de Esposa

Autor: Jonas
Não vou me alongar em detalhes sem importância. Todo casal após alguns anos de casado perde aquele fogo inicial e com nós dois não foi diferente. Das transas diárias no início passou-se para uma ou duas por semana se quando.
Eu sou o Jonas 38 anos, advogado, moreno claro e minha esposa se chama Léa, 32 anos, loira, 1,65mts, professora de educação física, corpo divino. Somos casados há 8 anos.
Sempre fomos bem cuca fresca em relação ao sexo. Falávamos sofre fantasias e fetiches sem vergonha ou preconceitos, mas só falávamos… Ela dizia que eu tinha uma mente muito à frente do meu tempo e que ela era mais convencional.
Porém, foi após uma noite de sexo, deitados na cama, de conchinha, que ela me disse:
- Se eu te contar uma coisa você guardaria um segredo?

068 - Chifrei Meu Marido Engolindo Esperma do Meu Aluno

Sou professora de línguas no Rio de Janeiro. Casada, 41 anos (sorry), dois filhos e um marido lindo. Na verdade, sinto-me com muito menos que quarenta anos e as pessoas me dizem que tenho um corpo super de menina e que sou bem conservada. Sei que isso não é mentira, pois tenho espelho em casa e apesar de todos os defeitos que posso encontrar com o meu corpo, considero que faço um belo sucesso de biquíni na praia. Tenho cabelos castanhos não muito longos e olhos verdes. Até esta história ter acontecido, eu jamais tinha sido infiel ao meu marido. Temos uma vida sexual saudável, picante e variada. Ele viaja durante a semana e nos finais de semana, durante os últimos dez anos, descontamos o atraso com “trepadas inesquecíveis” (como ele costuma dizer).
Dou aulas particulares para executivos em empresas, que variam, de aulas individuais para aulas em grupos. Na maior parte, homens. Estou acostumada às suas cantadas baratas, e são poucos os que me respeitam até o final do semestre. Quase sempre caem no ridículo de me fazerem propostas indecentes e depois têm de arcar com a vergonha de terem sido desprezados. Recentemente um aluno novo, transferido de São Paulo, começou um curso para poder melhor se comunicar com a matriz na Europa. Seu nome é Eduardo, tem 43 anos, moreno, em boa forma, de olhos castanhos e um lábio inferior carnudo, gostoso, que ao balançar quando fala chegava a amolecer as minhas pernas.

026 - Desejos Perigosos

Autor: Marido Voyeur.
Conheço esses gemidos a mais de 15 anos. 16 para ser mais exato.
Conheço aquela linda e minúscula marquinha de biquíni.
Já a vi cavalgar dessa forma muitas vezes. Na realidade perdi as contas.
Cavalgar uma pica e chupar outra ao mesmo tempo é a coisa que ela mais gosta de fazer na vida. A segunda coisa, pois a primeira falo daqui a pouco.
Olhar para mim e rir enquanto faz essas coisas também lhe dão enorme prazer.
Por que estou falando isso.
Porque novamente fico sentadinho, me masturbando, na minha condição de voyeur enquanto dois homens que conhecemos há poucos dias atrás exploram cada buraquinho de minha deliciosa esposa.

021 - Infiel

Olá a todos. Gostaria de compartilhar com vocês um pouco da minha vida.
Podem me chamar de Simone. Hoje tenho 34 anos. Sou loira. 1. 70m. Meu corpo e rosto chamam muita atenção onde quer que eu vá. Corpão muito bonito.  Sou casada a 8 anos. Nós conhecemos na faculdade. Ele terminando o curso de medicina e eu no primeiro ano de direito.
Éramos do RS e quando nos casamos já morávamos no RJ. Ele logo se especializou em medicina estética e a carreira começou a deslanchar. Eu, ainda como estagiária, comecei a trabalhar num escritório de advocacia que prestava serviços para uma concessionária de serviços públicos. E depois de formada fui efetivada para o Staff fixo da firma.

Aniversário do Blog

Neste mês de Maio, o blog completa 1 ano. Quero agradecer a vocês às quase 100 mil visualizações. Nunca imaginei que chegasse a tanto.
Tem sido muito difícil conseguir manter a rotina de postar um conto a cada dia devido a correria do dia a dia. Mas consegui.
Nos próximos dias reeditarei algumas das postagens mais vista, com uma nova apresentação e imagens. A numeração é a original do época da postagem. Espero que gostem.

Muito obrigado

Casada Sexy

242 - Dicas de Traições de Uma Casada Muito Puta

Olá
Sou a Fernanda e o que vou relatar agora é sobre o meu comportamento diante das minhas aventuras.
Sou uma mulher viciada em sexo. Sou rica, linda e gostosa e muito puta!! Traio meu marido sem dó, com muitos. O cara só precisa ter um corpo bonito e um cacete grosso para me comer sem pena! Fui criada em uma família rígida baseada em muitos conceitos morais que não me permitia escolher o que seria certo ou errado para minha vida. Eu teria que seguir o destino que minha família determinava.
Quando me casei, tive filhos e amadureci, percebi que a vida era mais do que cuidar do marido, dos filhos e da casa… a vida também era meter muito fora de casa!! E é assim que eu faço todas as semanas… meto muito!! A minha sorte, pelo fato do meu marido ser um médico importante, ele viaja sempre, dando palestras, participando de grandes eventos da área da medicina, às vezes o acompanho, mas não é sempre… pra falar a verdade prefiro ficar aqui solta… mas bem acompanhada!!!

241 - Fui Surpreendida e Virei Uma Putinha Casada

Meu nome é Bruna, sou casada, tenho 33 anos, sou baixinha de 1,55, 50kg, cabelos castanhos, pele bem branquinha, olhos cor de mel, sorriso malicioso, corpinho no lugar, seios fartos e bundinha saltada.
Era manhã de primavera e estava fazendo um calor gostoso. Estava atendendo um cliente quando a secretária chegou e me entregou um buquê de rosas vermelhas com um pequeno cartão. Nele estava escrito:
“Hotel Embaixador, suíte 907 às 15hs”.
E nada mais... Fiquei excitada e curiosa ao mesmo tempo. Terminei de atender o cliente e corri ao telefone... Liguei para meu marido, como quem não quer nada, e ele nada comentou. Fiquei desconfiada, sem saber quem poderia ser. O restante da manhã demorou a passar. Até que enfim eram 14h30. Saí do escritório dando a desculpa que iria atender um cliente fora.

240 - Minha Esposa Soltinha na Balada Liberal

Eu sempre fui daqueles maridos que curte exibicionismo, falar sacanagem, pedir pra esposa contar besteira na hora da transa, falar pra mim do pau do ex, pra quantos deu antes de me conhecer, essas coisas que eu acho que quase todo mundo que tem essa fantasia faz.
Curtia biquíni pequeno, night sem sutiã e fotografar minha mulher peladinha e postar em sites de casais liberais e marido exibicionista.
Ela sempre soube. Curtia ver fotos e vídeos que os caras mandavam pra ela e as vezes demonstrava gostar, por outras vezes dizia estar apenas concordando pra me agradar. Até então o máximo de ousadia que eu havia conseguido dela foi um topless numas férias em Búzios. Uns surfistas disfarçando pra apreciar de longe a minha gata com os seios de fora foi uma imagem que povoou minha imaginação durante muito tempo e falar disso foi combustível pra apimentar muitas transas nossas.

239 - Depois de Me Exibir, Acabei com 2 Picas Dentro de Mim


Bem acredito que todos vocês já leram o início deste conto que relatei anteriormente, pois bem, meu marido então telefonou para os dois garotões e os convidou para irmos todos a um motel que fica perto de nossa casa e claro os dois toparam na hora.
Daí eu fui tomar um banho pois estava toda molhadinha e claro muito melada de esperma, também depois de bater três punhetinhas e fazer jorra vários jatos de esperma em cima de mim, seis ovos de uma vez não é fácil.
Coloquei uma outra sainha bem curtinha com uma calcinha fio dental vermelha e uma blusinha preta sem sutiã, me preparei mesmo para encontrar aqueles dois garotões tesudos, nossa eu só pensava naqueles dois cacetes e principalmente naqueles enorme, ao mesmo tempo ficava com medo de não dar conta deles todos, de doer muito, me sentia insegura imaginando o que eles iriam fazer comigo, etc.

238 - Vida Sexual de um Casal Feliz

Sexta feira, quase dez horas da noite e Amália está nua e curvada sobre o braço do grande sofá da sala.
Danilo está todinho dentro dela, meteu fundo por trás, na boceta que está totalmente esticada para acomodar o volumoso invasor.
Amália faz seu costumeiro escândalo, geme, grita e se contorce toda, enquanto se joga para trás querendo ser penetrada no mais fundo ainda. Danilo mantém ela firme, segurando na sua cintura com os dedos cravados enquanto bomba sem parar, tira quase tudo e depois mete fundo, entra rasgando, separando as paredes da boceta tão molhada, de escorrer...

237 - Todos Eles Me Comeram

Nessas férias, o Giba e eu decidimos visitar vários lugares. Aqui perto de Fortaleza tem uma praia chamada praia do Icaraí, e lá ficamos em uma pousada para passar uns dias. Durante o dia saímos para a praia e lá o Giba encontrou com uns amigos e ficamos sentados na mesma mesa que eles. Conversamos e bebemos um pouco e notava que um dos amigos do Giba, o Marcelo, me comia com os olhos. O Giba notou que ele me olhava e com uns minutos chamou o Marcelo pra ir com ele ao banheiro, mas na verdade deve ter falado pra ele das nossas transas e com certeza estava planejando mais uma foda coletiva.
Quando eles voltaram, o Giba me dá um beijo e disse:
- Meus amigos estão numa casa de praia ali perto e perguntou o que eu achava da gente passar o fim da tarde lá bebendo e curtindo um pouco mais.

236 - Casada Quando Quer Dar, Ninguém Segura

Adoro sexo. Sou casada, mas quando acontecia do tesão ficar transbordando demais me permitia transar com outro, sem me esforçar muito para evitar. Não era sempre, mas não resistia quando o tesão era praticamente incontrolável.
Algumas vezes transava com outro e com meu marido no mesmo dia, e nessas vezes me deliciava com um no motel e depois com marido em casa na base do papai-mamãe, gozando gostoso com um e depois com o outro.
Uma putinha casada, e gostava de ser. Esse meu segredo.

235 - Orgia Com um Casal Amigo

Olá, meu nome é Ivan, sou um cara de porte normal, casado a 11 anos com Pri, que é uma gata de menina. Quando conheci Pri, ela tinha 18 aninhos morena clara, 1.52 m, 48 k, olhos pretos, cabelos cacheados, (uma verdadeira gatinha), era filha única, mimada (tipo burguesinha), e que para a minha felicidade me escolheu para ser o seu primeiro homem (esse dia é outra história). Depois de namorando, por motivos de força maior (O SOGRO), em menos de um ano já estávamos morando juntos.
Tudo era lindo e maravilhoso, nos amávamos de verdade como até hoje, tínhamos muita sede de sexo e fazíamos de todas as maneiras. Como todo relacionamento no começo a gente não vê a hora de chegar em casa e encontrar nossa outra metade para poder matar a saudade. Temos muita tara por fotografias e Pri é uma excelente modelo. Adora ser fotografada de todas as maneiras.

234 - Ménage Com a Aluna

Costumava ministrar cursos intensivos, de uma ou duas semanas, e até mesmo em fins de semana, em uma conceituada escola de formação profissional, voltados para aperfeiçoamento profissional na área de administração. Gostava do que fazia, e conquistei ótimas amizades com pessoal de grandes empresas.
Em um desses cursos noturnos rápidos, fiz amizade com uma garota muito bonita, séria, inteligente e agradável. Era jovem, menos de 30 anos, morena clara, uns 60 kg e uns 1,65 m de altura e corpo bem cuidado. Embora me atraísse muito, mantinha uma distância respeitosa porque era casada. Como ela pegava o ônibus, íamos juntos no metrô porque era meu caminho para onde eu morava. As vezes eu descia com ela na rodoviária para fazer companhia até pegar o ônibus. Gostava da companhia dela.

233 - Pau Amigo. E Que Pau...

Sempre fui do estilo mais caseira, a Netflix ultimamente tem sido minha melhor amiga, e sempre que saía era pra lugares mais tranquilos; churrasco com os amigos, ou barzinho com música ao vivo.
Já havia um tempo em que eu estava em casa, descansando devido a semana corrida no trabalho, e precisava sair, me distrair um pouco. Conversei com alguns amigos do trabalho e eles me disseram que iam pegar um happy hour na sexta depois do expediente, e me convidaram. Confirmei presença.
Naquele dia o tempo passou depressa, paramos às 18h e fomos para o barzinho. Era a nossa zona de conforto, mesmo eu não tendo saído muito, aquele era sempre nosso barzinho preferido. O tempo foi passando, pedimos as bebidas, porções, jogando conversa fora e rindo.

232 - Me Comeu Gostoso

Eric já estava com seu pau explodindo de novo, latejando em todo aquele comprimento exagerado e grossura deliciosa. Eu chupava, chupava e chupava cada vez mais gostoso, amava engolir aquele cacete! Ele gemia a cada expiração, fazendo eu me arrepiar de tesão, ele ia passando a mão na minha xaninha toda lisinha, depiladinha e apenas com um pequeno triângulo de pelos sedosos e fininhos, muito bem aparados.
Eu estava com tanto tesão e querendo ser fodida de novo que chupava com mais gosto e o corpo tremendo porque agora ele brincava com meu grelinho me fazendo gemer com todo aquele pau na boca. 

231 - O Negro da Praia de Nudismo Comeu Minha Mulher

Em Janeiro de 2016 resolvemos conhecer a praia de nudismo em João Pessoa chamada Tambaba. Uma praia linda onde só entra casais ou mulheres sozinhas. Resolvemos ir num sábado, dormir lá mesmo em Tambaba e voltar no domingo. As instalações são simples mas muito agradáveis.
Minha mulher está com 41 anos, mas todos dão uns 30 pois ela tem uma excelente genética e malha quase todos os dias. Linda demais.
Chegamos na praia por volta das 10 horas da manhã. Para entrar na parte de nudismo é necessário tirar todas as roupas. Aquilo já me deu tesão, mas tive que me controlar, pois não se pode ficar de pau duro. Caminhamos do portal até a pousada e tinha vários casais e pude observar os caras olhando minha mulher nuazinha. Pegamos a chave do quarto, deixamos nossas coisas e fomos para as barraquinhas de praia que ficam em frente a pousada.

230 - O Roludo do Tinder

Eu tinha chegado em casa depois de um dia extremamente estressante de estudos. Tinha passado o dia na biblioteca lendo um monte de livros e não encontrei nada que prestasse. Respirei fundo, contei até 10 várias vezes e saí da faculdade louca para tomar uma cerveja. Depois daquele dia eu precisava de no mínimo seis latinhas para relaxar.
Passei no mercadinho do lado da minha casa e comprei as cervejas. Assim que cheguei em casa tomei um banho rápido, comi qualquer coisa e já me sentei no sofá com uma cerveja na mão e um cigarro no outro. Tinha ligado a TV e colocado em qualquer canal, o que eu realmente queria era relaxar mesmo.
Depois de dois tragos do cigarro resolvi ver o que o Tinder tinha para oferecer naquele dia. Eu tinha relutado bastante para baixar o aplicativo porque eu não imaginava que ia encontrar alguma pessoa interessante.

229 - Meus Bons Amigos

Conheço a Érika e o Mauro há uns 15 anos, desde a época em que ainda eram namorados. É normal a gente se acostumar com as pessoas com o passar do tempo e só quando paramos para lembrar é que percebemos como as coisas mudam.
São um casal comum, amigos, divertidos, sempre participam das festas, comemorações e viagens. O Mauro gosta muito de festas com os amigos, vive fazendo churrascos em casa, regados a muita cerveja.
Volta e meia ele enche a cara, mas como está em casa mesmo, isso nunca é problema.

Essa é uma história em quadrinho retirado do site SEIREN. Se gostar do gênero, continue... 

228 - Fui Me Exibir e Acabei Com 2 Picas Estranhas Gozando em Mim

Estou casada já há alguns anos, meu casamento é estável e muito bom. Curto muito meu marido e ele a mim, mas ultimamente meu marido tem buscado colocar um pouco mais de pimenta em nosso relacionamento. Um dos pontos mais picantes é quando vamos sair para os barzinhos a noite ou até mesmo durante o dia, ele me para eu colocar uma sainha bem curtinha junto com uma calcinha fio dental e eu aproveitando coloco uma blusinha transparente, decotada e sem sutiã, deixando à mostra meus peitinhos.
Assim vamos curtir a noite nos barzinhos de nossa cidade. Quando chegamos percebo logo que os homens ficam todos de olho em mim, meu marido adora que eu me sinta desejada, ele fala que é gostoso levanta o astral e que dessa forma vou ficar mais excitada e querer dar para ele cada vez mais gostoso, pois quando casei com ele ainda era virgem e nunca tive nenhum outro homem até hoje, só conheço meu marido claro.

227 - Para se Vingar de Mim Ela Deu Para Outro

Karla, minha mulher tem 32 anos, 1,67, seios grandes e bonitos, pernas bem feitas, cabelos e olhos negros e um rosto que possuiu um sorriso muito sexy. Eu Tenho 39, sou alto e possuo meu charme.
Por muito tempo estamos fantasiando e desejando novas aventuras em nossa vida, nunca partimos para concretiza-las, mas um dia aconteceu. Faz dois anos que mudamos de cidade e a dois meses recebi um amigo do meu antigo emprego aqui em nossa atual cidade.
Karla não gostou quando lhe comuniquei da visita que iriamos receber, ela nunca gostou muito do Sérgio, afinal sabia das farras que tínhamos aprontados juntos e temia que aqui elas se repetissem.
No dia marcados fomos ao aeroporto busca-lo, ele ficaria 5 cinco dias a negócio e teríamos um tempo para conversar e tomar umas cervejas. No começo tudo foi muito formal e o humor de Karla foi melhorando.

226 - Ela Não Acreditou Que a Pica Dele Era Gigante

Esta é a primeira vez que escrevo, sou Leandro 31 anos e casado há 10 anos com Barbara que tem 29 anos, temos 3 filhos. Vou relatar um fato ocorrido há uns anos. Nossa vida de casal era bem normal, trabalho numa empresa de consultoria financeira e minha esposa é psicóloga, cuida da casa e trabalha duas vezes por semana no período da tarde, temos um ótimo relacionamento.
Ela é bem bonita, tem 1,70 cm, pele branca, 62 kg, cabelos pretos compridos até o meio da costa, olhos cor de mel, seios médios e com mamilos grandes, pernas bem torneadas, uma bunda deliciosa, buceta depilada e grandes lábios bem vermelhos e o que mais chama atenção em Barbara é sua boca muito linda.
Na nossa empresa recebemos a visita de Rick, um Cabo Verdiano da ilha de São Nicolau. Ele é gerente de um banco em Cabo Verde, na qual nossa empresa dá consultoria. Ele ficaria uma semana aqui na empresa, na sua chegada nosso diretor pediu para que eu fizesse companhia a ele já que sou responsável pela consultoria do banco dele.

225 - O Topless Que Virou Orgia

Confesso aos leitores, que sempre tive o desejo de ver minha esposa de topless numa praia lotada, mas ela nunca aceitou fazer isso, até que um dia, fomos à praia da Barra no RJ e aquele mundão de areia, estava lotado de gente e acabamos parando na Praia da Reserva, uma praia linda, mas que por não ter transporte público, é bem mais vazia e vi ali a minha oportunidade de realizar meu desejo e tratei de comprar uma caipirinha para minha esposa, bem antes de tocar no assunto, pois ela quando bebe, fica muito mais liberal e, não demorou muito, a caipirinha fez efeito e ela mesmo tocou no assunto, me dizendo que ali ela teria sim, coragem de fazer topless, pois à praia estava vazia.

224 - Minha Esposa e o Garotão Bem Dotado

Olá, meu nome é Luís, tenho 46 anos, não vou entrar em detalhe sobre mim, sou casado há 20 anos com a Alice, essa sim, vale a pena descrever, 40 anos, loura, 1m70, olhos verdes, sorriso lindo, pernas e coxas bem torneadas, seios médios e uma bunda lindíssima, toda carnudinha e arrebitada.
Nos conhecemos quando ela veio trabalhar no escritório de advocacia do meu pai e, após alguns meses de namoro, ela engravidou e resolvemos nos casar, e depois do nascimento do nosso filho resolvemos não ter mais filhos e passamos a aproveitar a vida com viagens e passeios, sempre nos demos muito bem em tudo, inclusive na cama.
Estamos sempre buscando apimentar a nossa relação para que não se caia na rotina, estamos sempre inventando locais novos para transar, motéis novos e situações inusitadas, como ela me chupando enquanto eu dirijo o carro em uma estrada movimentada, para os caminhoneiros verem e ficarem buzinando, parece loucura, mas adoramos isso e essa atividade, o exibicionismo, nos deixa muito excitados...

223 - Dei Minha Mulher de Presente Para o Garotão

No início dos anos 90, minha esposa então, com 31 anos e eu com 29. Ela loira olhos verdes, bunda e cintura definidas com um belo par de seios, apesar de já ter tido dois filhos, vaidosa, sempre se cuidando, mantendo a silhueta atraente.
Eu esportivamente em forma, peito cabeludo, olhos e cabelos castanhos. Nos dos dois primeiros anos tivemos dificuldades financeiras e minha esposa, já com o bronze adquirido da praia, teve que trabalhar em uma farmácia, em horário noturno, tipo das 4 da tarde até a meia noite.
Eu trabalhava num banco, e meu horário era mais flexível, podendo sair sempre as 4 da tarde, hora em que repartíamos a guarda dos filhos ainda pequenos. Em pleno janeiro, época de muitos turistas na cidade, tivemos a oportunidade de encaminhar nossos filhos para a casa dos avós maternos, no interior do estado.

222 - Fui Comida na Despedida de Solteira

O casamento de Adriana estava próximo e por isto Alicinha, Nina, Rúbia, Renata e Raissa conversaram e decidiram organizar uma despedida de solteiro para a amiga. O plano era simples, se reuniriam na casa de Raissa que se comprometeu a dispensar seu marido e liberar o apartamento só para elas, assim passariam a noite toda falando sacanagem, bebendo e rindo muito.
Na sexta-feira que antecedia o final de semana do casamento de Adriana, Raissa chegou a seu apartamento e notou que seu marido já não estava mais lá, tudo conforme combinado. André iria passar a noite jogando bilhar com amigos. 
Como o plano era ficar em seu apartamento mesmo, depois de tomar um delicioso banho Raissa vestiu apenas uma camisa de seu marido e uma minúscula calcinha de renda branca, e ficou aguardando suas amigas.
Por volta das 22h o interfone toca, era o porteiro avisando da presença delas.

221 - Swing Por Acaso

Conheceram-se em uma festa de aniversário, por meio de uma amiga em comum, conversaram bastante, quase que exclusivamente um com outro, ficando claro seu interesse por ela que, mesmo ao lhe negar um beijo continuava a conversar com ele. Contudo, ao final da festa, concluiu Sandra que ele nada tinha a ver com ela. Pedro não era o seu tipo. Mesmo assim, ele ainda insiste em pegar seu telefone.
No dia seguinte, ao acordar, ela se sente surpresa, alguma coisa a incomodava. Percebera então que, de alguma forma, sentia falta dele, arrependendo-se por não ter lhe perguntado o número do telefone. Passou-se alguns dias, em que ela esperava em vão por algum sinal de vida.
Então decidiu que iria procurar a amiga que tinham em comum, afim de que ela pudesse lhe passar o telefone dele. Mas, exatamente nesse dia ele telefonou para ela:

220 - Acabei Traindo - Final



No dia seguinte acordei e Marcelo estava no banho, fiquei muito preocupada com a reação dele afinal nem sabia de fato se ele sabia ou não, mil coisas passaram pela minha cabeça estava completamente satisfeita e ao mesmo tempo muito culpada por ter me entregado ao Sr. Ricardo.
Decidi levantar e encarar a minha nova realidade, se Marcelo não souber vou contar a ele pois não era justo nem com ele nem comigo.
Me dirigi ao banheiro abri a porta e Marcelo me deu um bom dia, sorri a ele e dei bom dia, escovei os dentes e Marcelo então falou:
- Você está linda.
Apenas sorri e disse:
- Quero conversar com você.
Ele me olhou e falou:
- Um minuto já estou terminando o banho.

219 - Noite do GangBang

Neste finalzinho de ano, meu marido querido, me deu em “presentinho de natal” antecipado.
Ficamos 5 dias no litoral este ano e certa noite depois de passar o dia todo na praia, meu marido me convida para irmos a uma boate que ele conhecerá meses antes. Me fala que o local era discreto e muito bem frequentado.
Meu maridinho, sabe armar umas fantasias bem loucas e prazerosas. Aceitei, lógico, afinal fazia de tudo para satisfazê-lo (e eu também, principalmente…).
Por volta das 23h saímos de casa, e cerca de 30 minutos depois, chegamos a tal boate. Era um prédio muito bem construído, mas nada lembrava uma boate. Local discreto, afastado do centro, nada de neons e coisas assim, apenas um grande estacionamento (lotado por sinal), e uma pequena entrada com dois seguranças.

218 - Realizando Nossas Fantasias

Sou casada tenho 37 anos, este é meu segundo casamento onde estou com meu marido a 5 anos. O primeiro casamento foi de muita traição da parte dele, sofri muito mas achei alguém para cuidar de mim.
Meu atual marido é um homem querido, cuida de mim, aprendi a dar valor a isso, consequentemente me tornei uma mulher melhor e dou valor a mim mesmo, esquecendo de meu passado.
Na cama nos completamos, melhor sexo da minha vida, apesar de ele não ser dotado, sabe me satisfazer, se pudesse seria o único homem que entraria em mim. Como disse na cama nos completamos e não tenho limites para retribuir o que ele é para mim.
Certo dia em uma transa, ele me perguntou se eu tinha alguma fantasia e confessei a ele que nunca havia feito com uma mulher, que seria interessante saber como é o beijo suave, o toque e até as lambidas de outra mulher.

217 - A Ruivinha Começou a Ganhar a Aposta


No último conto falei sobre a Josy mulata gostosa e que ela deixou escapar que eu era a aposta do escritório. Quem traparia comigo primeiro. Era para eu ficar PUTO, mas adorei! De 10 faltavam 9. Já que elas queriam porque não!

Na sexta sai com a Josy, na segunda todas estavam rindo e se questionando se era verdade, pois a Josy chegou espalhando para TODAS o que tinha acontecido. Foi para o meu setor e logo a Josy veio cheia de amor para dar. Chegou me agarrando por trás querendo beijinhos, carinhos. Eu sai e expliquei que estávamos no escritório e que lá não era lugar disso! Fui duro e firme com ela, até porque tinha algumas meninas olhando!

Depois falei com ela que éramos amigos e que no escritório era lugar de seriedade e profissionalismo! Ela entendeu, mas não queria que TODAS acreditassem nela. Na hora do almoço uma amiga do escritório a Marcela, chegou no restaurante e perguntou se podia sentar para comer na mesma mesa. Afirmei:

216 - Ousadias de Casal

- Meu Deus, como o tempo passa depressa. Como pode já ter se passado 20 anos, assim num piscar de olhos?
Julian remexia esses pensamentos na mente, enquanto tamborilava o garfo no prato vazio na praça de alimentação de um shopping. Ele esperava por Tereza, sua esposa, que tinha ido ao banheiro.

Essa é uma história em quadrinho retirado do site SEIREN
Se gostar do gênero, continue... 

215 - O Começo da Nossa História

Meu nome é Rafael. Resolvi contar minha história e compartilhar estas experiências com tantas pessoas que de alguma forma viveram ou vivem experiências semelhantes. Tenho 50 anos, 1,71m 72 kg, branco, com o cabelo castanho ligeiramente grisalho. Já fui nadador profissional e ainda tenho um corpo bonito e modelado. Isto não é para fazer boa figura, mas é apenas para se tiver em mente que tipo de pessoa está conversando com vocês.
Eu fui casado duas vezes. Fui feliz no primeiro casamento e sou feliz no segundo, ainda que sejam pessoas muito diferentes. No primeiro casamento tive uma filha e no segundo não tivemos filhos. No primeiro casamento tínhamos uma vida muito aberta e sem preconceitos. No segundo casamento passei a ter uma vida a dois como à maioria dos casais.
No meu primeiro casamento não tínhamos muitos dos preconceitos e prevenções tão comuns entre as pessoas. Não que não tivéssemos prevenções, porque todos nós as temos, como por exemplo, não curtimos o uso de drogas e bebidas em excesso, mas de uma maneira geral não éramos (e ainda não somos) preconceituosos.

214 - Presente de Natal

Me chamo Camila e tenho 37 anos. Em outubro do ano passado, dando “um limpa” no nosso computador, deparei-me com uma pasta estranha, escondida, se é que se pode dizer isso, onde continham fotos de sexo entre homens e homens nus. Fiquei chocada. Era meu marido que as estava juntando... Fiquei sem ação.
Começava a fazer sentido suas longas horas na frente do computador. Procurei e encontrei arquivos de conversas dele no MSN com homens e ele se dizendo passivo, falando de coisas que faria com outro homem que me deixou assustada.
Algumas dessas conversas eram assim, altamente eróticas, sexuais e pra mim comprometedoras. Eu comecei a chorar. Meu marido era gay!

213 - Pinho

Pinho é uma ótima praia, seja por estrutura, acesso e beleza natural... Pinho é dividida entre o “Céu” e o “inferno” ...
O “Céu”.
O “Céu” está do lado direito é a maior faixa de areia, somente casais, sobretudo os que estão hospedados na pousada naturista. Parece haver alguns poucos que acreditam na causa naturista, isso não é uma crítica, mas a grande maioria está lá para mostrar ou ser visto, quando não os dois... Ali as pessoas são comportadas, a tensão sexual, sem radicalização, é disfarçada, mas não a todo custo... Exibição e contatos discretos; Velados... Denunciados pelo vai e vem, micro marquinhas de biquíni, tatuagens sensuais... 
A quem desejar exibir fazendo de conta que não está, ou olhar sem admitir o que quer ver, tire a roupa, ponha os óculos escuros, erga-se, mova-se como quem não quer nada, vale até uma caminhadinha no lado esquerdo para alegrar a si e a galera... 
No espaço da contemplação, Há tempo para lembrar-se dos amigos, enviar-lhes uma Self talvez... Quem nunca enviou uma Self da praia...
Não se preocupe, nem é tão comportado assim, os “demônios” sempre dão um jeito de se infiltrar, nunca vi ninguém reclamar...

212 - O Marido da Amiga Arregaçou Minha Esposa

Meu nome é Wagner e sou casado com a Ângela há 20 anos, temos 46 / 44 anos. Ângela é uma mulher normal, dona de casa, 1,55 m, 48 kg, olhos e cabelos castanhos claros, seios médios, pouca bunda, e uma buceta muito especial, muito pequena e apertada com pelos aparados.
Desde solteiro, adorava ler contos e ver filmes sobre ménage masculino, era muito excitante, e mais ainda quando me punha no lugar do marido. Depois de muitos anos, fantasiei algumas vezes junto à Ângela, que às vezes correspondia, mas na sua maioria ela negava, dizendo que só eu a interessava. Ela sempre foi caseira e muito recatada, suas roupas sempre foram até por demais comportadas.
Uma das vezes que fantasiamos, e ela correspondeu, ela comentou que jamais teria algo real, mas que se viesse acontecer, deveria ser com alguém de confiança e que fosse dotado na grossura, pois fui seu único homem até então e ela tinha essa curiosidade, embora o meu é considerado normal, dentro da média 16 x 4 cm.

211 - Meti na Namorada do Amigo

No carnaval, um amigo meu disse que iria passar o feriado com um grupo de amigos dele e me convidou para ir também. Ele disse que um dos amigos dele, no qual vou chamar de Felipe, vinha de uma família bem rica, tinha uma casa em um condomínio de luxo na praia e estava convidando alguns amigos para passar o feriado por lá com ele e a namorada. Como eu não tinha nada programado e também não queria ficar na cidade, acabei aceitando. 

Chegando lá, conheci todos os outros amigos do meu amigo, inclusive Felipe e Stephanie, sua namorada. Stephanie tinha 19 anos e trabalhava como modelo, então vocês já podem imaginar como seria seu corpo. Stephanie era loira, com cabelos até o meio das costas, olhos azuis, branquinha, lábios carnudos, deveria ter mais ou menos 1,65 m, magrinha, um belo par de seios médios e pernas compridas deliciosas de ser admirar.
Ela era uma ninfetinha linda e me despertava um tesão toda vez que eu via ela com aquele biquininho de lacinho. Ela usava sempre fio dental e mesmo sua bunda não sendo muito grande, ela se destacava dentre as demais por ser redondinha e perfeita.

210 - Traí Meu Marido Com um Negão

Antes de tudo quero deixar bem claro que eu amo meu marido e não imagino minha vida sem ele. O Fato que vou relatar aconteceu comigo a mais ou menos um ano, apesar de ter uma ótima vida de casada sempre tive vontade de transar com outros homens, principalmente um negão.
Mesmo quando solteira nunca tive oportunidade. Neste dia eu estava no supermercado como uma boa dona de casa quando Marcelo me abordou perguntando se eu não queria comprar uns produtos que ele estava vendendo, na hora não dei muita atenção mas peguei o cartão dele e coloquei na bolsa.
Quando fui pagar a conta ele veio e ficou atrás de mim e voltou a puxar assunto, aí eu pude reparar com ele era bonito, alto (devia ter 1,90), forte, simpático e com um sorriso lindo, parecia um modelo.

209 - Meu Noivo Me Incentivou a Exibir 2

Dei um sorriso e agradeci, quando terminei, ele ficou mais um tempo e saiu, deve ter ido se masturbar, estava louca de tesão também, até que apareceu dois vendedores ambulantes, um deles já tinha vindo conversar comigo no dia anterior, mas me viu ali sozinha e com aquele biquíni, ele se sentou ao meu lado para vender canga, o outro vendia colares e brincos, o que vendia canga me ofereceu uma vez mas estava ali mesmo era pra ficar me vendo, o outro era mais tímido, ofereceu seus produtos e não estava muito afim e o outro pegou um colar dele mandou eu colocar para ver como ficava, os dois olhavam pros meus seios descaradamente, ainda mais com ele frouxo, ele falava pra provar vários, vi que não iriam sair dali tão cedo, topei comprar um e ele foram embora.
Fiquei mais um pouco na praia e fui almoçar e depois dormi, quando acordei, vi que tinha uma mensagem do meu noivo para que eu fosse jantar porque iria em um restaurante com os proprietários da empresa, fiquei puta da vida na hora, mesmo sabendo que ele estava fazendo isso para ganhar mais dinheiro, eu estava sendo jogada em segundo plano.
Na hora da janta, vesti uma blusinha soltinha sem sutiã e um short curto, o Lucas me vendo já fez cara de tesão e falou:
- Olá Dê, sempre linda como sempre.
Me deu um beijo no rosto bem molhado, elogiou também meu perfume e falou:
- Está cheirosa hoje para o noivo?
Falei:
- Que nada, esse vai demorar para chegar.

208 - Meu Noivo Me Incentivou a Exibir

Meu nome é Dê, tenho 27 anos, estou noiva do Rafael, sou morena e minha pele na praia forma uma marquinha bem linda, tenho cabelo liso na altura do ombro, sou baixinha, tenho um corpo em forma devido a muito academia, tenho curvas bem desenhadas, meus seios são de médios para grandes e bem empinados, minha bunda não é grande mas bem “arrebitadinha”, estou mantendo a forma porque daqui há um meses iremos nos casar e preciso entrar no vestido que é bem justo e decotado.
Meu noivo, precisou ir trabalhar por cinco dias em Florianópolis e me chamou para ir junto, consegui folga no meu emprego e fomos. Antes de ir, meu noivo conversou comigo de comprar uns biquínis mais abusados para curtir ainda mais minhas marquinhas, já que lá era fora de época e estaríamos na praia quase sozinhos e não teria nenhum conhecido conosco, ele até me deu dinheiro para comprar uns quatro, confirmei se poderia mesmo abusar e ele com cara de tesão falou:
- Pode amor, manda ver, corpo bonito tem que ser mostrado.

207 - Exposição Perigosa e Gostosa

Minha mulher tem 35 anos Morena clara, com 1.75, cabelos lisos, escuros com fios clareados (luzes), 68 quilos, uma bunda linda, pernas roliças e lisas e seios médios. Dentre todas as fantasias o “exibicionismo” é a mais emocionante e não muito difícil de fazer com que nossa parceira dela participe, mesmo, porque toda mulher gosta de ser admirada.
Nas minhas incursões pelos sites da Internet entrei num sex shop virtual e acabei comprando um conjunto de mini saia e um bustiê de látex para Cassia.

206 - Dupla Penetração Anal

Muitas mulheres dizem que não sou bonita. Depende. Pode parecer um lugar comum, um chavão de última categoria e um motivo de piadas imbeciloides, mas a beleza e a feminilidade não estão só na aparência física. E prova disto é a aventura que vou relatar, pois duvido muito que as garotas “perfeitinhas” que cochicham sobre mim jamais tenham alcançado o sentimento de ser uma fêmea completa, como eu fui naquela noite.
Antes de começar, tenho que dizer que realmente não sigo o padrão das revistas e dos programas de TV. Acho que deve ser genético ou hormonal, mas eu sou um pouco “quadrada”, como se fosse um homem. E as semelhanças não param por aí, pois também tenho uma voz mais grave do que o normal, além de pelos abundantes em meu braço. E sim, naquela parte também, é algo do que me orgulho, esta vasta e selva de pelos.
Mas foi muito cedo, com talvez uns dez anos de idade, que eu descobri a grande diferença. Ali, entre minhas pernas, aquele ponto que somente de roçar gera um calor terrível dentro de mim, nublando a vista e fazendo a cabeça rodar. Quer dizer, naquela época comecei a descobrir por mim mesma o segredo e a fonte de meu prazer, mas foi somente anos depois que eu vi que era especial, quando comecei a ver o que são hoje a paixão de minha vida, os filmes pornô. Quando vi o corpo de outras mulheres, e somente então, percebi que tenho um clitóris diferente. Avantajado, carnudo, quando eu me excito ele parece um pequeno pênis.

205 - Primeiro Topless

Na Espanha o verão é demais! Mulheres lindas com os peitinhos de fora deitadas na areia da praia numa boa… Isso mesmo, faz parte da cultura lá. Não estou falando de praia de nudismo. Isso acontece em qualquer praia, principalmente nas ilhas do mediterrâneo. Pois é, lá estava eu com minha esposa bem gostosinha e que tem uns peitinhos lindos.
Ficava de óculos escuro que era pra não dar vexame! Irresistível, não tinha como não admirar aquelas ninfetinhas todas quase peladinhas! Elas usam calcinha do biquíni até grande em relação as brasileiras, mas topless é padrão!
Mesma as turistas se deslumbram com a situação e acabam aderindo a regra da casa. Logo percebemos quais são as nativas com o peitinho bronzeado e já sem marca de biquíni. Elas ficam mais à vontade, desfilam pela praia e até jogam frescobol sem se preocupar com os olhares famintos como o meu! Tem também as turistinhas, geralmente de países mais ao norte da Europa e com pele bem branquinha.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...