294 - O Micro Biquíni

Luciana não aparentava inocência, não tinha a voz suave, e também não era de pedir conselhos e sorrir muito. Não era inexperiente, embora também não fosse a menina mais segura do mundo, pois tinha apenas 18 anos. Era uma aluna que falava pouco e não demonstrava ter muita afinidade com a matéria.
Na verdade Luciana era o tipo de menina com a qual eu nunca teria contato se não tivesse sido seu professor. Mantinha as unhas sempre bem feitas, um tanto compridas, e um ar de patricinha sem graça. Postava no Facebook fotos de praias, as suas pernas no sol, um drink do lado e frases tiradas de letras de músicas de gosto duvidoso. Nunca dei muita atenção pra ela, e ela também nunca trocou mais de duas palavras comigo. Em resumo, não fazia meu tipo, nem eu o dela.

293 - Ménage Com um Bem Dotado

As fantasias apenas eram sussurradas ao ouvido, pedindo, quase implorando para que fosse possuída por outro homem. Comprou-me diversos brinquedos, roupas e acessórios para me tornar uma puta.
Tanto era a vontade imposta no decorrer dos dias, que em nossas relações amorosas sempre fantasiávamos uma terceira, pessoa cujo qual, com seu pau grande e grosso me invadia a bucetinha ensopada, enquanto abocanhava o pau do meu esposo maravilhoso.

292 - Transformando Ela Numa Putinha

Morava em Goiânia e conheci a minha namorada, Karina no trabalho. Ela é alta, loira, cabelos abaixo dos ombros, seios grandes e quadril na medida certa para deixá-la com aquele lindo perfil violão. Sendo do interior, ela foi criada de modo tradicional: ocultando seus desejos para ser mais exato. No início das nossas transas, eu peguei leve, fazendo o tipo romântico, mas aos poucos fui apimentando a nossa relação.
Admito: sou meio tarado. Curto muito um sexo “meio diferente” tipo ménage, swing, exibicionismo etc. E, claro, fetiche. E fui vendo que a Kaká se sentia mais à vontade com o passar dos tempos. Comecei falando as sacanagens de sempre na cama, mas sempre visando aumentar a autoestima dela e não revelar as minhas taras. Se eu fosse muito direto ela iria se retrair, se ver como um objeto, que não era amada essas coisas. Por isso, tudo girava em volta dela, de fazê-la se sentir mais desejada.

291 Carlos Capixaba e a Esposa do Amigo

No começo de Junho de 2016 um rapaz que conheci na internet devido uma publicação de um vídeo meu postado em um site de sexo, entrou em contato por e-mail dizendo que era um casal de Guarapari/ES e tinha a vontade de ver a sua esposa com outro homem, porém ela tinha medo pois nunca tinha feito isso.

Como eu moro em Vila Velha, assim ele me passou o número do telefone da sua esposa e pediu para eu ligar para ela e conversasse sobre o assunto. Um dia à tarde fiz a ligação conversei com sua esposa por umas duas horas e posteriormente fui ligando várias outras vezes por dia.

Ela me passava o medo e receio de ter outro homem na frente de seu marido, tinha medo de sua reação ou seu ciúme. Eu conversei com ela e expliquei que já tinha iniciado outros casais que as esposas tinha medo e receios.

290 - Valeu a Pena Insistir

Ela deixou a empresa por volta das dezesseis e trinta. Seu horário habitual de sair. Já havia checado se o seu material estava devidamente guardado, trancado a mesa e empurrado a cadeira para debaixo dela. Caminhou em direção ao ponto do ônibus que a levaria para a Faculdade de Turismo, onde cursava o quarto período.
A poucos metros da parada, seu telefone tocou. Era ele novamente. Apesar das recusas insistentes que sofrera, ele não se deixou abater e continuou insistindo. Estava fascinado por aquela mulher pequena, de corpo delgado, coxas e pernas firmes em razão de seus oito anos de dança clássica e contemporânea. Carla atendeu.
- Alô.
- E então, decidiu aceitar meu convite?
- Alguma coisa mudou?
- Não, mas...
- Não tem “mas”! Já falei que não quero!
- Não quer mesmo? ...

289 - Vou Dar Para Todos Eles

Fiz preventivo do câncer. Minha ginecologista requisitou uma mamografia. No dia marcado, fui numa clínica do meu convênio. A técnica me fez despir a blusa, sutiã e apoiar o seio na bandeja, ajustando a altura do Raio-X.
Nisso escuto alguém dizendo:
- Pode deixar que eu faço o procedimento.
Como estava de costas, não pude ver quem era. Só notei um guarda-pó branco passar do meu lado, ajeitando melhor os seios. O contato daquelas mãos quentes com o frio do suporte, fizeram com que os biquinhos enrijecem.
Uma parte desceu, prendendo os seios e apertando-os, causando desconforto e um pouco de dor. A mesma voz masculina disse:
- Segure a respiração, tá Vanessa?

288 - Tesão Incontrolável

Os dois voltavam do aniversário de um amigo em comum. Ele se ofereceu para levá-la em casa, obviamente com as piores melhores intenções. Ela, ao notar o que o rapaz queria, chegando em frente ao prédio, o convidou para subir.
Estacionaram o carro e se dirigiram para o elevador. Como ela realmente não esperava trazer um homem para casa naquela noite, não tinha avisado para a amiga. Isso não era comum de acontecer. Por dividir o apartamento, sempre que ficava com alguém e a coisa evoluía para algo mais quente, ela prontamente se dirigia para um motel.
Mas dessa vez foi diferente.
Ela percebeu apenas quando já estavam chegando na frente do prédio. Culpa do álcool. Desceu do carro com o celular no ouvido, ligando para a amiga para saber se ela se encontrava em casa. Ninguém atendeu. Ao chegarem na porta do elevador, uma surpresa. Entrando exatamente depois deles, a tal amiga. Ela estava no caminho para a academia quando notou que tinha esquecido seu celular.

287 - Apartamento 703

Eu já estava mais que atrasada pra atender um cliente no 5° andar, o filho da puta inventou de fazer uma modificação no contrato com o seu sócio e eu, como advogada bem paga, fui lá verificar o que ele queria afinal!
Entrei às pressas no elevador, e acho que era meu dia de sorte. Recebi um bom dia de um cara com aspecto de, no máximo, 35 anos de idade, perfume importado, bem vestido, chave na mão. Morador do prédio com certeza. Cabelo preto, alto, sorriso largo. Cara de safado. Não sei de onde veio o pensamento, mas ele tinha ar de dominador, pegada forte e safado!
Fazia meses que eu não transava, acho que isso já estava começando a influenciar meus pensamentos. Ele perguntou:
- Você mora aqui?
- Ah não, vim apenas atender um cliente.
- E o que faz?
- Sou advogada.

286 - Surpresas de Um Marido Liberal

Sempre tive o maior tesão de sexo com mais de um homem. Desde a adolescência, tinha fantasias de ser deflorada por vários machos ao mesmo tempo.
Aqueles corpos nus, suados, se roçando em mim sempre preenchiam minhas fantasias.
A história que vou contar hoje foi uma surpresa que meu ex-marido preparou para mim numa de nossas viagens.
Partimos para a capital em final de semana e meu marido disse que tinha uma surpresinha preparada para mim. Já vivemos muita aventuras, e nosso relacionamento sempre foi aberto e admito que apimentava nossa relação.
Chegamos sexta à noite e fomos para um barzinho que ele conhecia de longa data, desde que era solteiro. Assim que chegamos, fomos recepcionados por 2 casais de amigos dele.

285 - Sexo na Praia de Nudismo

Nós frequentamos as praias de Santa Catarina na região de Bombas e Bombinhas, há mais de dez anos e, sempre tivemos vontade irmos à praia do Pinho. Decidimos ir em um sábado antes do carnaval desse ano, foi simplesmente demais.
Ao chegarmos lá e deixarmos o nosso carro estacionado, nos dirigimos para portaria de acesso à praia e após pagarmos as nossas diárias fomos orientados a nos dirigirmos para o lado direito onde se faz um tipo de adaptação e lá fomos nós, eu e o meu lindo corninho manso.
Como nunca tive problemas em ficar nua, enquanto o meu corninho preparava as nossas cadeiras e guarda sol, eu tratei de ir peladinha, como vim ao mundo, pra água e no trajeto me encontrei com dois homens que estavam conversando e ao me verem, não se contiveram e após me darem bom dia, falaram:
- Podemos ficar aqui pra te admirar?

284 - A Participação do Marido é Fundamental

Quando se é casada como eu sou, o marido tem que participar efetivamente da vida erótica e sexual da esposa, isso é verdadeiramente fundamental para que a relação liberal se torne sólida e sem nenhum percalço entre os dois. Acho que dei sorte por ter me casado com um homem Dominador que é Voyeur e Exibicionista.
Como Dominador, ele me obriga a servi-lo da forma mais gostosa que existe, permitindo que eu experimente algumas aventuras no campo do sexo com outros homens e até mesmo, com mulheres.
Como Voyeur, ele curte me ver vestida de forma sempre muito provocante, tesuda e gostosa. E dessa maneira saio de casa, usando roupas verdadeiramente sensuais, que provocam desejos em outros homens, eu adoro me sentir cobiçada e desejada pelos tarados das ruas.

283 - Delícia de Swing

O vestido branco, levinho e transparente, denunciava minha vontade de sexo naquela noite.
O Marcio também não negava que estava afim de uma boa troca de casais, seus olhos escuros e ardentes entregavam o desejo de pegar uma mulher gostosa.
Andamos pela casa de swing, desde a pista de dança até o corredor que leva aos reservados; alguns singles nos seguiam, como ímãs, na esperança de irmos na área reservada para os solteiros.
Preferimos ir para a área dos casais, a princípio ver o que estava rolando e, quem sabe, interagir também. Quando chegamos numa sala coletiva vimos dois casais transando, mas logo terminaram e foram embora, deixando os voyeurs sem nada pra assistir.

282 - O Voyeur

Meu nome é Rita, tenho 37 anos, clara, cabelos e olhos castanhos, 1,72 de altura e 60 quilos. Meu marido é o Marcelo, 41 anos, claro, cabelos e olhos castanhos, 1,75 de altura e 70 quilos. Ele é economista e trabalha numa grande multinacional e eu pedagoga de formação, mas dona de casa por opção. Temos 2 filhas: uma de 13 e outra de 10 anos.
Vivemos uma vida maravilhosa, sobre todos os aspectos. Temos uma situação financeira muito boa e a vida em si, muito tranquila, além de uma vida sexual bem ativa, mesmo com os 16 anos de casados. Parecemos mais um casal recém-casados, haja visto que, fazemos sexo, praticamente todos os dias. Mesmo com a minha idade e ter passado por duas gravidez, tenho um corpo muito bonito, pois desde quando a minha filha caçula completou 1 ano, frequento uma academia para manter o corpo saudável e em forma. Tenho um corpo cinturado, bumbum e seios médios e as pernas, que são os objetos de maior elogios por parte do marido e dos amigos.

281 - Professora de Fotografia

Um tanto cansado da rotina de sala de aula, resolvi fazer um curso de fotografia, oferecido por uma instituição parceira da escola que dou aula. O curso exigia uma câmera profissional, então comprei a câmera e estava animado para o começo das aulas. Eu, professor, seria aluno pelas próximas duas semanas.
Cheguei no local do curso e a turma era pequena, composta por oito pessoas, a maioria da minha idade, 20 e poucos anos, alguns com 30. Todos estavam sentados em silêncio quando a professora entrou na sala. Camila, 31 anos, usava um vestido azul não muito comportado e decotado, nada a ver com o estilo das professoras que são minhas colegas na escola.
- Boa noite, classe!
Ela disse, com um sorriso muito simpático e autêntico.

280 - Conversas Eróticas

- Não acredito! O que que o Marcos falou?
- Ele disse que acha você uma delícia!
Ri alto e ali no quarto escuro e deitados na cama não sabia o que dizer do comentário do Pedro.
- Ele disse que me acha bonita, né? Você que está aumentando.
- Caramba. É tão difícil acreditar em mim?
- Mas ele disse essas palavras? Me acha uma delícia?
- É. “Você é um cara de sorte. Acho a Fabi uma delícia”.
Estávamos deitados nus, de conchinha. Senti quando seu pau foi ficando duro e se acomodar inteiramente no vão de minha bunda. Sua respiração aumentou na minha nuca e ouvido. Fiquei toda arrepiada quando ele alisou pacientemente os biquinhos de um dos meus seios.
- E você não quis matar ele não?
Fiz esse comentário devido aos ciúmes que Pedro tem de qualquer homem que se aproxima de mim.
- Não.
Perguntei de novo:
- Não? O que houve? Não sente mais ciúmes de mim.
- Sinto sim. E muito. Dá vontade de matar um...

279 - Garoto de Programa

Sou carioca, faço pós-graduação na UFF e trabalho como garoto de programa.
Corpo sarado não é necessário.
Não tenho o estilo rato de academia ou tigrão pegador. Pelo contrário, sempre fui tímido. Não sou muito bonito, mas também não sou feio. Tenho meus apetrechos: as clientes elogiam minhas pernas, cílios, boca, nariz e orelha. E mãos, claro. Sei seduzir quando é preciso.
Para ser GP, não é requisito básico ser bonito e marombado, pois o gosto da clientela varia muito. Umas preferem corpos sarados, outras preferem o papo, e há aquelas que visam uma boa pegada. Mulher tem feeling para essas coisas.
E foi assim que entrei nessa vida, pelo feeling de uma mulher.
Estava numa balada estilo clube das mulheres: bebida liberada para as damas e dança de gogo boys até certo horário, e depois vinham os caras de verdade.

278 - Enrabada Pelo Chefe do Meu Marido

Meu nome é Eliana, sou casada, 36 anos, loira. Eu sou uma mulher vaidosa, sou aquela magra falsa e alta, com um corpo atrativo, cabelo curto olhos cor de mel, rosto bonito, boca deliciosa e sedenta para chupar uma pica, seios ainda duros. Tenho uma bela bunda e coxas e pernas bonitas, meu marido é funcionário público de uma cidade aqui próxima. E esta é minha história.
Conheço meu marido há 5 anos e casamos há 3 anos, mas enquanto namoramos nunca tivemos relações sexuais por ele ser do tempo antigo. Eu já queria, mas ele nada e depois de casada ele só quer comer minha boceta. No início não me incomodei, até gosto, ele me fode gostoso, mas o problema é que há muito tempo venho sentindo um desejo imenso de fazer sexo anal com ele.
Estou sempre oferecendo meu cuzinho para ele, mas até agora nada. Perguntei:
“Você não sente tesão de me enrabar?”
E ele me respondeu:
“Nunca gostei de comer o lado B de uma mulher e que prefiro só sua boceta.”

277 - Meu Marido Nem Imagina

Olá caros leitores, meu nome é Cristina. Tenho 26 anos, morena clara, olhos verdes, 1,65m, 58 kg, cabelos castanho escuro pouco abaixo dos ombros. Meus seios são médios e ainda firmes. Minha bunda, sempre fiz o possível para mantê-la durinha, devo agradar os homens, pois recebo muitos elogios.
Meu marido diz que adora minha bunda que ela é a parte do meu corpo que ele mais gosta. Ele morre de ciúmes quando caminhamos e os homens vira o pescoço para secar meu bumbum, então quando vamos fazer nossas caminhadas evito vestir roupas muito coladas no corpo para não chamar atenção.
Venho de uma família muito religiosa onde meus pais me ensinaram que a fidelidade, o respeito e o amor são fatores imprescindíveis para manter um relacionamento harmonioso entre os casais, e eles se orgulham muito de ter passado estes valores para os filhos.
Nunca dei motivo para meu marido ter ciúmes de mim, pois eu o amo muito e somos muitos felizes no nosso casamento, jamais pensei em traí-lo pois ele me completa em todos os sentidos.

276 - Sensações Sem Limites

- Para Luana!!!! Aqui não... Espere!
- Tesão... Te quero...
Luana é uma garota da minha empresa com quem eu tenho um "affair"” caloroso...
Morena, mignon, típica mulher brasileira... gostosa, bundinha empinada e especialmente naquele dia estava linda de ver.
A festa de comemoração de fim de ano do escritório já rolava solta numa boate transada da cidade e Luana, minha acompanhante, voltava comigo até a Empresa, pois eu havia esquecido meus documentos na mesa do escritório.
O elevador panorâmico do edifício era observado por câmera, mas Luana parecendo nem se importar com isso insistia em me beijar e tentar enfiar sua mão dentro das minhas calças.

275 - Três Para Duas

Quando eu estava estudando ainda no primeiro grau tinha uma amiga que era muito colada comigo, Márcia era o nome dela, e saíamos quase que para todos os lugares juntas, e nossas colegas de sala sempre brincavam dizendo, onde está a Ana você encontra a Márcia, mas vamos ao fato que aconteceu conosco em uma de nossas saídas juntas.
Uma noite fui com Márcia a uma festa do nosso colégio, nós estávamos com 18 anos, dançamos a noite inteira, ficamos com alguns rapazes, mas no fim da noite acabamos sentadas sozinhas, quando já pensávamos em ir embora sentam três rapazes em nossa mesa, Alexandre, João e Marcos, eram do último ano e apesar de serem apenas dois anos mais velhos que nós, tinham o charme de garotos mais experientes.
Depois de conversarmos um pouco vieram com um papo furado de ouvir música mais agradável no apartamento do Alexandre, pois seus pais estavam viajando e ele ficaria aquele fim de semana sozinho.

274 - Ela Queria um Ménage

Fábio é um jovem de 27 anos. Ele é casado com Mariza, 2 anos mais velha que ele. O casal se conheceu há 5 anos atrás numa boate na cidade onde moram. Foi atração logo a primeira vista, e logo começaram a namorar.
Durante todo tempo em que esteve juntos, Mariza foi muito aberta com ele. Sempre falou de seus problemas, segredos e fantasias. Ela sempre foi uma moça muito ativa principalmente em relação ao sexo.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...