283 - Delícia de Swing

O vestido branco, levinho e transparente, denunciava minha vontade de sexo naquela noite.
O Marcio também não negava que estava afim de uma boa troca de casais, seus olhos escuros e ardentes entregavam o desejo de pegar uma mulher gostosa.
Andamos pela casa de swing, desde a pista de dança até o corredor que leva aos reservados; alguns singles nos seguiam, como ímãs, na esperança de irmos na área reservada para os solteiros.
Preferimos ir para a área dos casais, a princípio ver o que estava rolando e, quem sabe, interagir também. Quando chegamos numa sala coletiva vimos dois casais transando, mas logo terminaram e foram embora, deixando os voyeurs sem nada pra assistir.

Aproveitamos pra ir pra outro ambiente, subimos as escadas e encontramos uma coletiva menor e vazia, como se estivesse esperando por nós.
Eu sentei no sofá, o Marcio ficou na minha frente e eu comecei a chupar o pau dele. Tirei a roupa e deixei meus peitos de fora, o Marcio também tirou a roupa e sentou-se no sofá, oferecendo o pau duro pra minha bucetinha sentar nele.
Eu abri as pernas e fui sentando naquele caralho, deixando que ele me penetrasse até o talo. Apesar de estar apertadinha, minha buceta engoliu o pau do Marcio deslizando com muita facilidade: era o tesão que me deixava toda molhada.
Um casal se aproximou e ela, muito gentil e educada, falou no meu ouvido:
- Posso lamber seu peito?
Ai, gente… que delícia! Ela chupava meus mamilos com uma delicadeza, e ao mesmo tempo com uma vontade, que me fazia curtir ainda mais aquele momento. Não demorou muito e ela fez um movimento com o vestido que deixou os peitos dela pra fora também, oferecendo aquelas maravilhas pra gente.
Eu e o Marcio passamos a língua naqueles biquinhos, nós dois mamamos gostoso naqueles peitos. Ela também continuava a apertar uma teta minha e o marido dela pegava na outra, acariciando com vontade.
Nesse momento uma salinha reservada ficou livre e nós aproveitamos pra entrar nela, os quatro, já querendo muito um ao outro.
Assim que entramos os meninos liberaram os cacetes pra gente chupar, eu chupava o Marcio, ela chupava o marido, ainda sem ter certeza se iria rolar uma troca.
Os olhares diziam que sim, que os quatro estavam afim de fazer swing, mas tomar a iniciativa nem sempre é fácil. Mas como eu não costumo perder tempo, já fui pegando na rola do marido e a amiga ficou mais à vontade pra pegar na pica do Marcio também.
Foi quando eu falei:
- Troca de lugar, amiga, pra ficar mais fácil.
E a gente trocou: eu fiquei de frente pro marido dela e ela de frente pro Marcio. Pronto!
O tesão estava altíssimo, eu fiquei de pé roçando meu corpo nu no corpo dele enquanto nos beijávamos. Do lado o Marcio também seguia numa interação deliciosa com a amiga, tanto que já pegou a camisinha pra foder a bocetinha dela.
O marido também pegou a camisinha pra me foder, colocou na pica e eu virei de quatro oferecendo o bumbum pra ele enfiar o cacete em mim.
Ele segurou meu cabelo com uma mão e com a outra apoiava minha cintura pra ajudar no movimento; foi enfiando a rola na minha buceta me fazendo gemer como uma puta. Eu rebolava também pra aumentar o tesão dele e a cada socada eu gemia mais alto.
O tesão estava no ar, dava pra sentir perfeitamente, quase palpável. Adoro homem que também expressa o tesão com gemidos e esse gostoso começou a gemer – eu sabia que ele ia gozar a qualquer momento. Devia ter pedido pra ele esporrar em mim, mas estava curtindo tanto que nem lembrei.
Terminamos e ficamos olhando o Marcio com a amiga, que também gemia gostoso demais sentindo o caralho do Marcio socando a buceta dela até gozar.

Foi uma delícia de swing, com um casal bacana demais. Trocamos contato e certamente nos encontraremos outras vezes. Sem roupa, de preferência!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...